Maré tem mais um dia de direitos desrespeitados pela PM

Morar e circular pela cidade ainda é desafiador, alertam palestrantes
18 de novembro de 2018
Projeto “CRIA” lança Chamada Livre para incentivo à ações no âmbito do Dia Internacional dos Direitos Humanos
4 de dezembro de 2018
Exibir Tudo

Operação policial não seguiu os pontos firmados na Ação Civil Pública novamente; escolas, postos de saúde e comércio estiveram fechados o dia todo

Em 29/11/2018

Já são mais de 15 horas de operação. Desde as 4h30 da manhã, os moradores das localidades da Vila do João, Conjunto Esperança, Vila Pinheiro, Conjunto Pinheiro, Parque Ecológico e Salsa e Merengue estão sofrendo os impactos de uma operação da Polícia Militar. Segundo relato de alguns moradores, houve muitos tiros durante a madrugada, e, no decorrer do dia, casas, veículos e comércios foram violados. Até o momento, a Redes da Maré atendeu a casas na região da Vila do Pinheiro, que foram invadidas e tiveram seus bens danificados.

Também foram atendidas às famílias de três jovens que foram mortos na operação. São eles: Julio Lino Macena da Silva (17), Rian Marcos da Silva Batista (18) e Douglas Souza Morais (32). Os postos de saúde as escolas não abriram, deixando muitos moradores sem acesso a esses equipamentos. Procurada pela Redes da Maré, a assessoria de comunicação da Polícia Militar informou, somente às 16h52, que está havendo uma operação na Maré com as equipes do Comando de Operações Especiais  (COE), do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq), do Batalhão de Ações com Cães (BAC) e do Grupamento Aeromóvel (GAM).

Ainda segundo Assessoria de comunicação da PM, não houve prisões ou apreensões. A Redes da Maré ressalta que, mesmo com Ação Civil Pública (ACP) da Maré em vigor, a operação policial teve início de madrugada e não foi identificada a presença de ambulâncias no local, descumprindo, assim, uma decisão judicial. A operação ainda está em curso e a equipe do Eixo Segurança Pública e Acesso à Justiça da Redes da Maré segue de plantão pelo número de WhatsApp 99924-6462 para casos de violações de direitos.