A prevenção na favela

Os veículos midiáticos tem falado muito sobre o novo coronavírus, mas algumas dúvidas sobre o assunto ainda são frequentes

Hélio Euclides e Dani Moura

As grandes preocupações da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, órgão ligado ao Ministério Público Federal, são quais medidas estão sendo adotadas para a prevenção e no atendimento às populações que moram em favelas e periferias do país. O receio é a alta densidade populacional, casas muito próximas e limitações estruturais para garantir o isolamento adequado em caso de contaminação pelo vírus. Além disso, as favelas cariocas apresentam saneamento básico precário e falta de água, e poucas unidades de saúde para atendimento da população. O pedido é que o Ministério da Saúde dedique atenção às favelas, para que a situação de desigualdade social não seja agravada com a chegada da pandemia.

No site Favela em foco, Raull Santiago, ativista social e midiativista no Coletivo Papo Reto, explicou que umas das dicas principais de lavar as mãos com bastante água, às vezes vira um obstáculo. “Na favela nós economizamos água não só por consciência, mas também por sobrevivência. Lavar a mão o tempo inteiro, não é uma possibilidade. Ainda lutamos pelo direito à água”, comenta. Outro ponto que ele acha difícil é a quarentena. “Na favela é parede com parede, tem casa de dois cômodos com seis pessoas morando. Não nos levar em consideração é perpetuar as violências históricas”, expõe. 

Sérgio Magalhães, arquiteto, declarou no Jornal O Dia que os políticos não incluem o tema planejamento urbano como deveria e por não discutirem o território, a população fica desprevenida. Para ele, o fim do Ministério das Cidades e o não planejamento municipal traz um problema para as favelas. “Como o pobre não tem acesso a financiamento, 80% da população vai guardando o suado dinheirinho aos poucos para construir sua casa do jeito que der. O pobre é um lutador”, conclui.

O Jornal Maré de Notícias lembra que nesse momento precisamos estar unidos lutando para que que tudo seja solucionado da melhor forma possível. para toda a população.

Segue algumas orientações importantes:

  • Evite aglomerações, bares, shoppings, cultos, igrejas e outros lugares fechados neste momento. Não é hora de festa, não vá ao baile e nem a outros eventos festivos. 
  • Lave as mãos quando chegar da rua, quando chegar ao trabalho e também  após ir ao banheiro. Cante “Parabéns para você” duas vezes enquanto lava entre os dedos, unhas, palma da mão, laterais da mão, o dorso e o pulso. Use água e qualquer sabão, como detergente e sabão de coco. 
  • Evite entrar em casa com sapatos, deixe-os do lado de fora. E sempre ponha a roupa para lavar quando chegar da rua. 
  • Limpe com frequência seu celular, seu computador com pano limpo um pouco de álcool e água (metade água e metade álcool). Corrimão, maçanetas, mesas, teclados, controles remotos devem ser limpos duas vezes ao dia com água e  sabão simples.  
  • Não divida seu prato, copo e talheres. Cada um com seu, ou lave antes de usá-los.
  • Quando usar dinheiro ou cartão, lave as mãos ou use álcool em gel. 
  • Se estiver em um ambiente público, por exemplo, ou com grande aglomeração – como transporte coletivo -, não toque na boca, nariz ou olhos sem antes ter lavado as mãos ou pelo menos limpá-las com álcool.
  • Ande a pé ao ar livre e evite andar de moto táxi e vans nesse período.
  • Se tiver que pegar fila, dê a distância de dois passos entre uma pessoa e outra.
  • Vamos cuidar de nossos idosos e senhoras das nossas comunidades e também das pessoas com doenças crônicas, como pressão alta, diabetes e doenças cardíacas, autoimunes e respiratórias graves. Elas correm mais riscos. Então, em caso de sintomas como febre por mais de 2 dias e dificuldades de respirar, procure a UPA Da Vila do João.
  • Se tiver espirrando, com dor na garganta, dor no corpo, coriza, mas sem febre e sem dificuldade de respirar, fique em casa.
  • Nada de beijo e abraços, e se for tossir ou espirrar, coloque o cotovelo na frente.
  • Aos que gostam de tomar remédio por conta própria, evite o Ibuprofeno.  se for coronavírus isso pode piorar muito sua saúde. Prefira a dipirona ou paracetamol. Em todo o caso, evite a automedicação e em caso de suspeita aos sintomas dirija-se a Unidade de Saúde mais próxima. 
  • Passe essas informações ao máximo para os nossos grupos de whatsapp e converse com os vizinhos – por telefone – sobre isso. Só com a favela unida poderemos vencer o coronavírus e evitar muitas mortes!!

SAIBA MAIS SOBRE A DOENÇA:

O que é o Coronavírus?

É um vírus que causa infecção respiratória parecida com uma gripe ou um resfriado. Em casos graves, a pessoa terá dificuldades para respirar e pode evoluir para pneumonia e até falência múltiplas dos órgãos. Há casos em que a pessoa não apresenta sintoma, mas ainda assim transmite o vírus.

Porque ele é tão perigoso?

Por ser um vírus novo, a população não tem imunidade contra ele e a transmissão é fácil e rápida.  

Como ele age?

Ele penetra pelas mucosas boca, nariz e olhos e atua principalmente nas vias respiratórias. O alvo predileto do vírus são os pulmões. Por isso, à medida que a infecção avança, a pessoa fica com mais dificuldades para respirar.

Como ele é transmitido?

Principalmente pela saliva, gotículas nos espirros e tosses. Uma gotícula pode conter milhões de vírus e contaminar pessoas próximas e objetos (bolsas, sacolas, portas, maçanetas, celulares, computador, corrimão e etc.).

Conheça a diferença entre sintomas

CORONAVÍRUSGRIPEALERGIAS
Tosse secaDificuldades para respirarFebre altaCansaçoFadiga persistenteDiarréia TosseCorizaFebreDor de cabeçaDor de gargantaDores nos músculos e nas juntas TosseOlhos irritadosCorizaEspirros

Quando devo procurar um médico?

As pessoas que estão com tosse, coriza e espirros devem permanecer  em casa. Nos casos de febre por mais de 3 dias, falta de ar constante e tosse seca, a pessoa deve se direcionar para a Clínica da Família. Caso tenha falta de ar constante, necessitando de apoio de aparelho para respirar e medicamento de maneira de urgência, vá a UPA. É muito importante enfatizar para os moradores que não sigam até as unidades de atendimento apenas com os sintoma de uma leve gripe, resfriado e alergias para evitar aglomerações, aumentado o risco de contágio. 

Como estão os atendimentos nas clínicas da família? 

Com a apresentação dos sintomas do novo coronavírus, o paciente será encaminhado ao atendimento médico. Os profissionais competentes para avaliação dos casos são os médicos e os enfermeiros, que darão as orientações necessárias para o cuidado do paciente. No momento, as equipes da Maré estão reduzidas (2 médicos por unidade, 2 enfermeiros, 6 técnicos de enfermagem e 6 agentes de saúde). Diante da redução de equipe, as escalas entre os profissionais são diárias, sempre com um médico e um enfermeiro para o atendimento à população. Em casos leves, os pacientes são submetidos a quarentena e devem ser acompanhados pelos agentes de Saúde por telefone. 

Nos casos mais graves, os pacientes serão encaminhados para internação nos hospitais de referência, através do Sistema de regulação de vagas. Em casos de óbito com suspeita de COVID-19 na residência, uma equipe da Unidade de referência do território é encaminhada ao local, para a realização do teste e certificação da causa da morte. 

A maioria dos atendimentos regulares de acompanhamento em saúde  foi suspenso. As Clínicas da Família estão priorizando o acolhimento aos casos suspeitos de COVID-19 e acompanhamento online dos casos que estão em quarentena em casa. Outra questão é que os pacientes que fazem parte de grupo de risco terão prioridade no atendimento, são eles: maiores de 60 anos e paciente com tuberculose, gestantes no último mês de gestação, hipertensos e diabéticos descompensados, pessoas com doenças cardíacas e respiratórias.

Como acontece o processo de notificação em caso de Coronavírus?

As Clínicas da Família e as UPAs estão realizando apenas a avaliação clínica do paciente e o encaminhamento para quarentena em casa ou internação em casos graves. Essas unidades não realizam teste. 

Contato da Vigilância em Saúde para dúvidas: as orientações estão disponíveis no site subpav.org/ondeseratendido e telefone de contato vigilância sanitária 2573 -7934 falar com Janaina ou Dr Otto.

Endereço das Unidades de Saúde da Maré

Nome da Unidade EndereçoHorários de AtendimentoTelefone
CMS Américo VelosoRua Gerson Ferreira, 100 Piscinão de RamosSeg a sex 7 às 18hSábado 7 às 13h
2590-3941/31044624
Clínica da família Jeremias Morais da SilvaRua Teixeira Ribeiro s/n Nova Holanda, MaréSeg a sex 7 às 18hSábado 8 às 13h
99652-5686
Clínica da Família Diniz Batista dos SantosAv. Brg. Trompowski, SN – Maré ao lado do BRT MARÉSeg a sex 7 às 18hSábado 8 às 13h
(21) 99543-6014
Clínica da Família Adib Jatene Via B Um, 589-501 Conjunto Pinheiros – MaréSeg a sex 7 às 18hSábado 8 às 13h
(21)3885-4561
Centro Municipal De Saúde Augusto BoalAv. Guilherme Maxwel, 901- MaréSeg a sex 7 às 18hSábado 8 às 13h
(21) 3105-8982
CMS Vila do JoãoRua RUA 17 sn, Vila do JoãoSeg a sex 7 às 18hSábado 8 às 13h
(21)31090006
CMS João CândidoAv. Lobo Junior, 83 Marcílio Dias Seg a sex 7 às 17h(021)2584-2083
Unidade de Pronto Atendimento UPARua Nove, 4880  Vila João24 horas(21) 3361-1411

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui