Operação conjunta da PMERJ e PCERJ repete dinâmica de violações para os moradores da Maré

Jéssica Pires

Ruas vazias e o silêncio! Assim foram as mais de dez horas de operação policial na Maré nesta quinta-feira (18 de julho). O silêncio das ruas foi interrompido pelo barulho dos voos rasantes do “caveirão voador” e os confrontos armados que ocorreram em diferentes localidades do conjunto de favelas da Maré. A Operação Policial teve início a partir de 6h30 nas favelas Parque União, Rubens Vaz, Nova Holanda e Parque Maré e afetou o funcionamento das unidades de saúde e escolas da região. A operação contou com Unidades do Comando de Operações Especiais (COE), Batalhão de Operações com Cães (BAC) e Batalhão de de Operações Especiais (BOPE), além do apoio da Secretaria de Estado de Polícia Civil.

O Grupamento Aeromóvel (GAM) fez o monitoramento aéreo da região durante a ação. Moradores relataram à equipe do Maré de Direitos, logo nas primeiras horas da manhã, que ouviam os voos rasantes do Caveirão Voador na região. Já a Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) com o apoio da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) atuou no Parque União, segundo informações da Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar.

A equipe do Maré de Direitos recebeu relatos de domicílios invadidos, carros depredados e pessoas agredidas. Houve o registro de um jovem ferido no braço na Rua da Paz próximo à Casa das Mulheres no Parque União. Um outro jovem foi ferido no rosto na Nova Holanda no final da manhã. No início da tarde, um idoso foi alvejado na cabeça na Praça do 18, na Baixa do Sapateiro, foi atendido na UPA Maré e passa bem.
Lucas Bussinguer, de 19 anos, foi morto na porta de sua casa, na Rua São Sebastião, no Parque União. Segundo relato de moradores, policiais realizaram abordagem extremamente violenta e atirou contra o jovem, mesmo sem que este oferecesse risco aos agentes de segurança. Ainda pela manhã foi realizada perícia no local pela Delegacia de Homicídios.

Segundo informações também da assessoria da PMERJ, armas e drogas foram apreendidas na favela de Nova Holanda. Adriano Cruz de Oliveira (Adriano Gordinho) foi preso no Parque União ainda no início da operação. Apesar da aparência planejada desta operação policial, a mesma foi marcada, novamente, pela paralisação do cotidiano dos moradores da Maré e registro de inúmeras de violações de direitos fundamentais, incluindo colocando em risco a vida de quem mora na Maré.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui