O desejo de mudar a educação

Aluna do Curso Pré-vestibular Redes da Maré é aprovada em universidade pública no Rio de Janeiro. Foto © Douglas Lopes

Com a pedagogia, Luiza espera novos rumos para ensinar

Hélio Euclides

Luiza de Lima de Oliveira, de 22 anos, cursou por dois anos o Pré-Vestibular Redes da Maré. A moradora da Nova Holanda é uma das mais novas universitárias da Maré. Ela já está em fase de provas, do primeiro período, do curso de Pedagogia, na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj).

A recém-universitária terminou o Ensino Médio em 2015, e, no ano, seguinte fez o Pré-Vestibular da Igreja Jesus de Nazaré. Em 2017 e 2018, Luiza encontrou pedreira pelo meio do caminho: as 24 horas do dia eram insuficientes para a quantidade de demandas e obrigações sob sua responsabilidade. “Tinha que fazer as coisas da casa pela manhã, estudar no Pré-Vestibular da UniFavela à tarde e no Pré-Vestibular Redes da Maré à noite. Estudei muito, mas o esforço me ajudou a conseguir a vaga”, lembra. Ela conta que conhece a Redes da Maré há bastante tempo, onde fez cursos de francês e informática.

“Educação transforma o mundo”

Ao todo, foram três anos de preparação para o ingresso na universidade. “O Ensino Médio público é precário. Então, o pré-vestibular me ajudou, principalmente, na interpretação de texto e redação”, desabafa. Luiza sabe bem o porquê da escolha do curso de pedagogia. “Não quero que um filho se decepcione com o Ensino Médio, como aconteceu comigo. Sei que a educação transforma o mundo. Quero tentar fazer algo para melhorar a estrutura da educação do país”, deseja.

Luiza focou no vestibular realizado pela Uerj, por acreditar que a prova é conteudista, o seu forte. Quando soube da notícia que tinha passado, ela levou um susto. “Passar para uma universidade pública tem um grande peso na vida, ainda estou vivendo o momento. Na universidade, tudo é novo, estou em fase de conhecer”, revela.

Na família, ela será a primeira a ter o diploma, já que pai começou três faculdades, mas não chegou a concluí-las. Luiza revela que nessa trajetória seu segredo foi a força de seus pais, que foram seu alicerce. Mas ela dá uma dica para quem deseja o ingresso numa universidade. “Não desistir, e sim lutar”, resume.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui