Ronda Coronavírus: Clínica da Família na Maré tem atendimento precário por falta de energia

A Clínica  Jeremias  Moraes da Silva tem óleo para garantir o funcionamento do gerador até amanhã

A Clínica Jeremias Moraes da Silva, uma das três que atendem aos 140 mil moradores da Maré, está fechada para atendimento ao público desde última segunda-feira (06) ao meio dia por falta de óleo diesel, que mantém o funcionamento do gerador da instituição. Desde que foi inaugurada em março de 2018, a clínica não tem energia elétrica, mesmo estando em uma das favelas da Maré (Nova Holanda) com distribuição de energia. Nesses dois anos, não foram poucas as vezes que a instituição fechou por falta de pagamento do aluguel do gerador ou do óleo diesel que a abastece. Em tempos de pandemia, a clínica já fechou outras duas vezes por este motivo. Esta foi a terceira. A promessa da Secretaria Municipal de Saúde é que volte a funcionar amanhã. Mas de acordo com o presidente da associação de Moradores de Rubens Vaz, Vilmar Gomes, a instituição vai abrir com 100 litros de óleo, suficiente apenas para o dia de amanhã.

Números da Covid-19

O Brasil registrou de ontem pra hoje 1.187 mortes. São mais de 68 mil brasileiros vítimas da Covid-19. Só no estado do Rio, até o momento foram registradas  10.970 mortes e 126.329 casos. Na capital fluminense são 62.463 casos confirmados e  mais de 7 mil mortes. Nas 16 favelas da Maré, segundo o Boletim De Olho No Corona!,  são mais de 1.053 casos e 110 mortes até a última sexta feira. 

Retomada das atividades

A flexibilização das atividades econômicas está acontecendo em etapas e impactando diretamente os moradores da cidade do Rio de Janeiro. Enquanto a Prefeitura acelera a abertura de atividades, o Governo do Estado do Rio de Janeiro estende as medidas restritivas de prevenção à pandemia até o dia 21 de julho, o que inclui aulas presenciais e serviços como academias de ginástica e cinemas. Eliano Félix, jornalista e morador da Vila do João, na Maré, é praticante de exercícios e precisou encontrar alternativas em casa para não interromper sua rotina de atividades físicas durante a quarentena. Mesmo com a previsão de reabertura, ele não sente segurança para voltar. “Eu não me sinto seguro em retornar realmente nesse momento. Eu prefiro continuar os meus exercícios em casa e correndo ao ar livre, sempre com máscara.”

Eliano Félix, jornalista e morador da Vila do João

Solidariedade

Durante a pandemia do novo coronavírus, ainda que faltasse o apoio e a assistência governamental, foi nítida a multiplicação das iniciativas sociais criadas por moradores, instituições e organizações locais. Em todo o Rio de Janeiro, as favelas construíram suas próprias iniciativas e, ainda que o movimento de flexibilização da quarentena esteja sendo feito, os cuidados nesses territórios continuam. Anderson Gonçalves é comunicador e morador da Favela Marcílio Dias, na Maré, e mobilizou a população para a arrecadação de mantimentos que ultrapassou os limites da Maré. “Conseguimos arrecadar alimentos, kits de higiene e kits de limpeza para vários moradores de várias periferias, como Salgueiro, em São Gonçalo; Chapadão, em Costa Barros; Terreirão, no Recreio; e Parque das Missões, em Duque de Caxias. É super importante mostrar que temos que sair do campo da teoria e ir para o campo da prática”, incentiva.

Anderson Gonçalves, comunicador e poeta da Maré

Outra iniciativa na Maré foi a Campanha “MARÉ SOLIDÁRIA CONTRA O CORONAVÍRUS”, da Frente de Mobilização da Maré, que atua para minimizar os efeitos da pandemia do Covid-19 nas 16 favelas da Maré. São mais de 50 voluntários engajados na luta, entre moradoras e moradores, comunicadores populares, assistentes sociais e profissionais das áreas de Educação e Saúde. Johnny Santos é um deles. “No início eu vi a necessidade de me voluntariar para a Frente porque sei que o governo não nos atinge com a ajuda necessária”, diz o voluntário.

Johnny Santos, voluntário da Frente de Mobilização da Maré

Colabora nessa Maré de Notícias

A desigualdade que maltrata os estudantes pelo acesso precário à internet; o desemprego das mulheres negras; a saúde mental em tempos tão difíceis; como a Maré atravessou as crises de saúde anteriores; e o duro cotidiano dos trabalhadores informais diante da recessão. Esses são os temas propostos pelos vencedores das cinco bolsas no projeto #Colabora nessa Maré de Notícias, para a produção de reportagens sobre a pandemia e seus impactos no conjunto de favelas do Rio. Os jovens jornalistas receberão orientação das equipes do #Colabora e do Portal Maré de Notícias, com a publicação nos sites e redes sociais dos dois veículos. Saiba quem são os vencedores aqui. Os candidatos que não foram selecionados receberão a oferta de mentoria dos jornalistas do #Colabora e do Maré de Notícias para o início da carreira no jornalismo.

Live do Maré de Notícias

Amanhã, quinta-feira, dia 09, às 19h a jornalista do Maré de Notícias Jéssica Pires vai trazer dois convidados para uma Live sobre o Boletim De Olho no Corona!. O geógrafo Dalcio Marinho e a pesquisadora Camila Barros irão explicar e simplificar dados que mostram como as favelas e a periferia carioca se encontram na pandemia. O encontro terá ainda o lançamento do Painel dos Invisíveis, uma nova ferramenta que o Maré de Notícias trará de monitoramento de casos na Maré.  O encontro acontece pelo Facebook e Youtube da Redes da Maré.

Provas do Enem só no ano que vem
As Provas do Enem 2020 acontecerão em janeiro e fevereiro de 2021. O Exame será em 17 e 24 de janeiro para os 5,7 milhões de inscritos que escolheram a prova impressa. Outros 96 mil farão a prova digital em 31 de janeiro e 07 de fevereiro. O anúncio foi feito pelo secretário-executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel, e o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, durante coletiva de imprensa, em Brasília.

Novos livros e vídeos para alunos da Rede municipal 

A Secretaria Municipal de Educação, publicará amanhã, quinta-feira, (09), cinco livros para os alunos da Rede Municipal de Ensino pelo aplicativo SME Carioca 2020. São histórias que retratam as trajetórias de vidas de pessoas com algum tipo de deficiência que se reinventam através do esporte, da educação e da cultura. Os títulos também serão disponibilizados em formato de vídeo no Canal Sala de Leitura SME Carioca em três versões: narrados, com audiodescrição e em libras. Os livros estão disponíveis também no site. Já os vídeos podem ser assistidos na Sala de Leitura Virtual da SME.

Campanha de vacinação contra a gripe é prorrogada 

Crianças, gestantes e mães que acabaram de ter filhos podem se vacinar contra a gripe até a próxima sexta-feira, dia 10. Programada para encerrar no dia 30 de junho, a campanha de vacinação contra a gripe foi estendida até o dia 10 de julho ou até enquanto durarem os estoques de vacina. A meta da secretaria é ampliar a cobertura vacinal nos grupos prioritários que ainda não alcançaram a cobertura de 90%, como crianças, gestantes e puérperas, que são grupos de maior vulnerabilidade. “A vacina irá contribuir para diminuir a necessidade de assistência médica nos postos de saúde e hospitais, minimizando aglomerações e reduzindo o risco de contaminação pelo coronavírus nesses ambientes”, avalia Valter Almeida, da Gerência de Imunizações da SES.

Nenê do Zap

Apesar da quarentena, muitas crianças já estão de férias. E mesmo as que não estão de férias estão em casa o dia todo. Haja criatividade para tanta brincadeira! Mas o Nenê do Zap tem dicas para ajudar as mamães.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui