Ronda Coronavírus: Mais de metade dos brasileiros não têm trabalho

Pela primeira vez na história, apenas 49,5% dos brasileiros com idade para trabalhar estavam ocupados no segundo trimestre de 2020

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, PNAD, apenas 49,5% das pessoas com idade de trabalhar estavam ocupadas no trimestre encerrado em maio: 85,9 milhões de pessoas — perda de 7,8 milhões em apenas três meses, sendo a maioria informal. É o menor nível de ocupação desde 2012, quando o levantamento passou a ser feito pelo IBGE. A taxa de desemprego, que mede a ocupação daqueles que buscam trabalho, subiu para 12,9% no trimestre encerrado em maio, ante 11,6% nos três meses anteriores. O número de desalentados, aqueles que desistiram de procurar um emprego, saltou para 15,3% no trimestre, e agora está em 5,4 milhões, mais um recorde na série. E as pessoas que não estavam trabalhando nem procurando cresceram em nove milhões de um trimestre para o outro, chegando a 75 milhões. Todos recordes. 

Números da COVID-19

Más notícias para Brasil e Estados Unidos, países que concentram o pior cenário da pandemia de coronavírus no mundo. Mais de 126 mil pessoas já morreram nos EUA devido à doença — o maior número de mortes do mundo. O Brasil vem logo atrás, com mais 60 mil mortos, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. Integrantes da Organização Pan-Americana de Saúde, braço regional nas Américas da Organização Mundial da Saúde, disseram ontem que o pico da epidemia no Brasil pode ser em agosto e que o país poderá ter mais de 80 mil mortes até lá. 

Covid-19 na Maré

O Estado do Rio completou 105 dias após a primeira morte por Covid-19, em 17 de março, agora são 10.198 mortos pela doença, o que corresponde a média de 96 por dia. O número total de casos confirmados em todo o Estado é  115.278. Se fosse um país, o Estado do Rio seria o 19º do mundo com mais infectados. Só na capital são mais de 57 mil casos confirmados. Nas favelas do cidade do Rio são 3.712 casos registrados por relatores comunitários e 597 mortes, segundo o Painel Unificador Covid-19 nas Favelas. Na Maré são mais de 1000 casos – entre confirmados e suspeitos – e 100 mortes, segundo o boletim De Olho no Corona.

Acesso à internet na Maré

De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a cada 100 casas no Brasil, apenas 47 têm internet banda larga fixa. Com a pandemia, a falta de acesso à tecnologia se tornou uma questão de mais impacto e, para aqueles que já possuem o acesso como o Raphael, continuar os estudos continua sendo um desafio de conexão e também de adaptação. Raphael Souza, estudante universitário e morador da Baixa do Sapateiro, teve a oportunidade de estudar e trabalhar de casa, o que aumentou o consumo de energia da casa e, principalmente, o consumo da internet. “A internet colaborou a maior parte do tempo, mas teve duas semanas que ficou muito lenta. Depois de acionar várias vezes a operadora, acabou voltando à normalidade. Sorte que não aconteceu isso em momentos de avaliação na faculdade”, declara.

Raphael Souza, estudante universitário e morador da Baixa do Sapateiro, teve a oportunidade de estudar e trabalhar de casa.

Vitória Veiga também é estudante universitária e tem tido aulas on-line. “No início foi muito difícil, tive que aprender a converter arquivos, criar documentos, mas os professores foram parceiros e eu estou conseguindo”, relata a estudante.

Vitória Veiga também é estudante universitária e tem tido aulas on-line.

Fogo acidental destrói acervo de uma escola na Maré

A Escola Municipal Clotilde Guimarães, na Maré, pegou fogo na madrugada da última segunda-feira. A unidade escolar funciona na Avenida Brasil. Professores e funcionários da escola relataram que não foram poucas as invasões com roubos na unidade escolar. Ar condicionado, bombas d`água e até quadros brancos foram roubados nos últimos meses. Com a retomada da obra da Transbrasil, um muro foi derrubado e uma cerca de madeira foi construída, o que facilitou as invasões. Por causa disso, a Prefeitura autorizou a construção de um novo muro, que dividiu a escola e parte do antigo pátio foi ocupado por usuários de crack. Na madrugada de segunda-feira (29), houve uma briga entre os usuários de crack e um deles tentou atear fogo no outro, atingindo a escola, acidentalmente. Parte da biblioteca e do almoxarifado foram queimados. “[Os danos] Foram causados por uma briga entre moradores de rua. Um tentou incendiar o outro. E eles estavam vivendo colados à parede da biblioteca, visto que nós perdemos o muro para as obras da Transbrasil, disse Rosângela Ferraz, professora de História da unidade. Ela conta, ainda, que  todo o acervo fotográfico histórico da instituição foi perdido, assim como material escolar, roupas, uniformes, livros, jogos e um esqueleto usado para aulas de Biologia. “Muita gente passou mal ao ver a escola queimada. Eu estou há 20 anos trabalhando nela e estou muito triste com o que vi”, conta a professora da escola que atendia a 900 alunos do 6º ao 9º ano. A Prefeitura já foi à unidade escolar para planejar o início das obras de recuperação.

ADPF das Favelas

O ministro Ricardo Lewandowski votou hoje, no plenário virtual do STF, acompanhando o voto do relator da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental – ADPF 635, Edson Fachin, pela manutenção da medida cautelar que proíbe operações policias nas favelas do Rio. Votaram até agora, além de Lewandowski, os ministros Edson Fachin e Marco Aurélio. Assim, o placar está 3×0 para manutenção da liminar que proíbe as operações policias durante a pandemia da COVID-19, salvo em hipóteses absolutamente excepcionais, justificadas por escrito pela autoridade competente, com a comunicação imediata ao Ministério Público do Rio de Janeiro. Como são 11 ministros, faltam mais 3 votos favoráveis à medida cautelar para formar maioria e confirmar a manutenção dos efeitos da liminar até o fim do processo.

Auxílio Emergencial

O Governo Federal confirmou hoje que mais duas parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial serão pagas, mas o cronograma de pagamento ainda não foi definido. 

Reflexos do ciclone bomba no Rio de Janeiro

Ciclone bomba que atingiu principalmente os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina impactou indiretamente regiões do Rio de Janeiro. Vários pontos da capital ficaram sem energia elétrica, árvores caíram na Zona Sul e casas na Zona Oeste ficaram destelhadas. A Defesa Civil emitiu alerta via SMS sobre ventos fortes nesta quarta-feira. Para receber mensagens sobre questões climáticas, como possibilidades de chuvas fortes, basta enviar um SMS para 40199 com o número do CEP. O serviço é gratuito. 

Histórias sobre Covid-19

A Agência Pública acaba de lançar seu primeiro projeto de investigação participativa: Histórias que Contam. Leitores e leitoras de todas as partes do país são convidados a contar histórias de familiares e conhecidos que morreram de Covid-19. Os relatos serão recebidos através deste questionário

Canal de Sala de Leitura

A Secretaria Municipal de Educação publicou hoje seis novos vídeos para os alunos da Rede Municipal de Ensino. O Canal de Sala de Leitura publicou vídeos sobre a poesia, com obras e sentimentos de alunos, professores e demais profissionais de Educação. O escritor, ator e contador de histórias Otávio Júnior é um dos participantes. O autor é conhecido também como “O livreiro do Alemão”, pois criou na comunidade do Complexo do Alemão um projeto literário para ensinar às crianças o prazer da leitura. Ele lerá o livro “Da minha janela”, de sua autoria, que conta sobre sua trajetória entre os livros. O material on-line poderá ser acessado através da Sala de Leitura Virtual da SME.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui