Ronda Coronavírus: Na crise sanitária mais grave em um século, Brasil está há 51 dias sem ministro da Saúde e 15 dias sem ministro da Educação

Nesta segunda-feira, o Brasil foi o país do mundo que teve mais óbitos por Covid-19 em 24h

Partículas do novo coronavírus suspensas no ar podem infectar pessoas, dizem cientistas. A organização Mundial de Saúde informou que  os especialistas do órgão estão revisando os apontamentos feitos em carta assinada por 239 cientistas. Estes afirmam que as partículas do coronavírus no ar são infecciosas e pedem adoção de novas medidas de proteção em locais fechados, como ventilação e filtragem do ar. Segundo os especialistas, o risco é maior em ambientes fechados. 

Covid-19 na Maré

Nesta segunda-feira (06), o mundo ultrapassou a marca de 11,3 milhões de casos de coronavírus e mais de 532 mil mortes, com o Brasil liderando em número de óbitos nas últimas 24h, passando de 65 mil mortes por coronavírus em pouco mais de quatro meses de pandemia. O país é o 2º com os maiores números de óbitos e de infectados no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Segundo dados da universidade americana Johns Hopkins, o Brasil tem 12% das mortes e 14% dos casos no planeta. No estado do Rio, as mortes passam de 10 mil pela Covid-19. Na cidade maravilhosa são 60.596 casos confirmados e 6.924 mortes. Nas favelas cariocas, são 2.510 casos confirmados e 476 mortes. Na  Maré  são 110 mortes e 1053 casos entre os confirmados e os suspeitos de acordo com o levantamento De Olho no Corona.

Reabertura das atividades 

A reabertura do comércio de rua no Rio de Janeiro, que era prevista para o dia 02 de julho, ocorreu no dia 27 de junho, depois de três meses com as portas fechadas. Os estabelecimentos foram autorizados a funcionar de 11h a 17h, enquanto os shoppings permanecem funcionando das 12h às 20h. Com isso, o movimento de pessoas nas ruas aumentou significativamente. Na Maré, a abertura representou aumento de casos de Covid-19, que dobrou de uma semana para a outra. De 17 para 36 casos. 

O aumento dos casos registrados entre os dias 16 e 22 de junho ocorre justamente duas semanas após os decretos de relaxamento da quarentena, intervalo apontado pelos especialistas como o necessário para que a doença comece a se manifestar nas pessoas contaminadas. Na semana de 23 a 29 de junho, o município teve um número menor de novos casos registrados. Na Maré, porém, o aumento se repetiu e 48 novos casos foram registrados. Confira a nona edição do boletim De Olho no Corona!, onde contém os dados do levantamento feito na Maré aqui 

Campanha da Redes da Maré no Catarse

Ao longo de três meses, a Campanha Maré Diz NÃO ao Coronavírus atendeu mais de 13 mil famílias da Maré com a distribuição das cestas de alimentos, produtos de higiene e limpeza, em um total de mais de 900 toneladas de itens doados, além de fornecer mais de 24 mil refeições para pessoas em situação de rua e a produção de mais de 167 mil máscaras produzidas. A meta agora é conseguir comprar mais 4 mil cestas pela plataforma Catarse e beneficiar 16 mil moradores da Maré. O desafio é enorme pelas necessidades das famílias que estão sem ou com pouquíssima renda neste momento. Toda ajuda é válida, tanto na doação quanto na divulgação! Mais informações em aqui 

Cuidados e proteção

Na semana passada (29/06 a 03/7)  houve a conclusão da desinfecção de todas as ruas, becos, travessas e vielas das 16 favelas da Maré. Todo o território recebeu uma película que mantém pisos e paredes protegidos contra a propagação do coronavírus. E nesta semana haverá distribuição de álcool em gel e máscaras na Vila do Pinheiro e no Salsa & Merengue. 

Maré de Direitos

Agora além do atendimento por e-mail, a equipe de assistentes sociais, advogadas e psicólogas do Maré de Direitos estará disponível também por meio presencial. Com o objetivo de ajudar moradores nas questões de saúde, violações e dúvidas sobre como acessar direitos, os plantões vão acontecer na Redes da Maré na Vila dos Pinheiros, às terças e quintas-feiras, das 14h às 17h. 

Maré em tempos de Coronavírus

O podcast Maré em tempos de coronavírus já está no ar. Nesta edição, Eliana Sousa aborda o aumento dos casos de violência doméstica durante a pandemia. Entre março e abril deste ano, os casos de feminicídio aumentaram 22,2% em 12 estados do país, em comparação ao mesmo período do ano passado.Para ouvir todos os episódios, basta acessar aqui.

Da janela vejo a Maré

O projeto amaredecasa está com votação aberta para a escolha de fotos. O projeto recebe fotos de moradores das 16 favelas da Maré. As fotos com maior número de votos  ganham prêmios a cada Mês.  A galeria Da Minha Janela já está com as fotos mensais da galeria Imagens da Quarentena, do projeto A Maré de Casa. O site também já está recebendo contribuição para a próxima edição. Acesse aqui para votar e ficar por dentro do site 

Live do Maré de Notícias

Quinta-feira, dia 09, às 19h a jornalista do Maré de Notícias Jéssica Pires vai trazer dois convidados para uma Live sobre o Boletim De Olho no Corona! .O geógrafo Dalcio Marinho e a pesquisadora Camila Barros irão explicar e simplificar dados que mostram como as favelas e a periferia carioca se encontram na pandemia. O encontro terá ainda o lançamento do Painel dos Invisíveis, uma nova ferramenta que o Maré de Notícias trará de monitoramento de casos na Maré.  O encontro acontece pelo facebook e youtube da Redes da Maré. Participem e enviem suas dúvidas!

Coletivos em ação na Maré

AMaréVê é um coletivo de seis mulheres mareenses que atua com comunicação e audiovisual no Parque União, na Maré, desde 2014. O objetivo é contar histórias e produzir memória sobre o território, construindo narrativas e compartilhando temas relacionados ao cotidiano da favela, com foco na ressignificação de conceitos. Durante a pandemia o coletivo tem usado as redes sociais para conscientizar moradoras e moradores, além de participar e apoiar ações como a entrega de cestas básicas, materiais de limpeza e fraldas descartáveis. O AMaréVê foi um dos projetos selecionados na Chamada Pública Novas Formas de fazer Arte, Cultura e Comunicação nas Favelas com um programa que irá falar sobre a relação da favela com a pandemia. Para saber mais clique aqui.

Plataforma reúne iniciativas humanitárias

Alunos do Departamento de Informática do Centro Técnico Científico da PUC-Rio criaram o site Sistema Online de Iniciativas e Doações (SOLID), com o mapeamento de ações humanitárias que estão atuando durante a pandemia do novo coronavírus, conteúdo científico e pesquisas a respeito de projeções da doença. O site reúne diversas instituições das mais variadas ações em um só lugar, com o objetivo de divulgar as iniciativas e facilitar a busca por aqueles que desejam contribuir e estimular a propagação de conteúdos confiáveis. Para acessar clique aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui