Ronda Coronavírus: Maré chega a 40 casos de Covid-19

Passa de 11 mil os casos na cidade do Rio de Janeiro

Já passam de 11 mil os casos de coronavírus na cidade do Rio de Janeiro. Dos 162 bairros da cidade, apenas dois ainda não tem casos confirmados, de acordo com os dados das secretarias de saúde. Só a Rocinha, que tem a maior quantidade de casos em favelas do estado, tem mais mortes confirmadas por Covid-19 do que pelo menos 15% das cidades do Brasil. O painel Rio Covid-19 divulgou hoje mais dois casos na Maré, totalizando 40 casos. O Boletim De Olho no Corona, produzido pela Redes da Maré, registrava até 3 de maio, pelo menos 140 casos de moradores com suspeita ou confirmação de Covid-19 no território. 

O dia na Maré

Durante esta quarta-feira (13) parte do comércio em algumas das favelas da Maré não funcionou. Foi o caso da Vila do João, onde comerciantes relataram que decidiram não abrir as portas por conta do decreto da Prefeitura desta semana, que recomenda que apenas serviços essenciais funcionem nas favelas da cidade. Já no Parque União, muitos comércios abriram as portas. A feira livre que acontece às quartas-feiras no Parque União também aconteceu, com considerável movimentação. Há a recomendação da Prefeitura para que as feiras aconteçam com o uso de luvas e máscaras pelos feirantes, disponibilização de álcool 70%, distanciamento de barracas e pessoas.

Consequências do isolamento social

Com o isolamento social, o número de denúncias de violência doméstica aumentou no Rio de Janeiro. Segundo o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), houve aumento de mais de 50% no número de denúncias desde que o distanciamento social começou. A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES) lançou um material específico para orientar e auxiliar gestores, diretores das unidades e profissionais de saúde da rede estadual na identificação e atendimento de casos de violência. O “Protocolo de Atendimento às Pessoas em Situação de Violência” será enviado para todas as unidades e trabalha com o conceito da violência como um problema de saúde pública. 

Testagem e equipamentos

A Prefeitura do Rio regulamentou a realização de testes rápidos para Covid-19 em farmácias, drogarias, consultórios, clínicas médicas e de imunização, laboratórios de análises clínicas e postos de coleta. Os pontos devem ser previamente licenciados pela Subsecretaria de Vigilância Sanitária. De caráter provisório e excepcional, a medida foi publicada no Diário Oficial desta terça-terça (12) e estabelece as regras de funcionamento para realização da testagem, como o uso obrigatório de máscaras.

Chegaram nesta terça e quarta-feira os primeiros respiradores e monitores adquiridos pela Prefeitura do Rio para o combate do coronavírus. Foram comprados da China 306 respiradores, 500 monitores e milhares de unidades de EPIs, que chegarão no Rio de Janeiro em seis voos realizados pela Latam.

Enem e o acesso à educação desigual nos territórios de favela 

O Ministério da Educação prorrogou a suspensão das aulas por mais trinta dias, a partir do dia 15 de maio, sexta-feira. O novo prazo para retorno das aulas é 16 de junho. A portaria nº 473 fez o comunicado sobre a prorrogação do prazo de suspensão das aulas. A publicação estão no Diário Oficial da União na última terça-feira (12).  As inscrições para o ENEM 2020, porém, foram iniciadas nesta segunda-feira (11). Candidatos do Enem 2020 que estiverem com Covid-19 e outras doenças listadas nos dias da prova, poderão fazê-la em outra data, de acordo com o edital. Porém, há um grande movimento para que aconteça o adiamento do mesmo, devido a uma série de condições adversas para boa parte dos candidatos ao exame, incluindo moradores de favelas e periferias, que historicamente têm o acesso à educação deficitário se comparado a estudantes de outros espaços e classes sociais. “Eu não tenho como estudar para o enem, em casa não tenho foco, não tenho internet. Minhas aulas na escola também foram suspensas, e esse ano o foco ia ser o ENEM”, comentou Victoria Lucas de Oliveira, moradora do Rubens Vaz e aluna do CPV da Redes da Maré. A Redes da Maré é uma dessas instituições que está neste movimento e hoje, publicou uma nota se posicionando contrária à manutenção do calendário do ENEM.

Aluna do Curso Pré-Vestibular comunitário fala sobre a importância do adiamento do ENEM.

Dica do “Nenê do Zap”
A dica do “Nenê do Zap” de hoje é sobre a curiosidade das crianças. A recomendação é que o diálogo permaneça mesmo durante o período da pandemia. As crianças fazem em média 300 perguntas por dia de acordo com o Nenê, e por mais que os pais nem sempre tenham a resposta ideal ou satisfatória para todas as perguntas é importante manter o elo de segurança e confiança com as crianças sendo sinceros. Acompanhe as dicas do “Nenê do Zap” aqui no Maré de Notícias!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui