Ronda Coronavírus: Maré e bairros vizinhos têm 597 casos de Coronavírus

Número de mortes de favelas do Rio é superior ao de 14 estados 

Maré tem 127 casos de coronavírus confirmados. Bonsucesso e Ramos, somam 470 casos. São os dados desta sexta-feira (22), do Painel Rio Covid-19. Segundo dados do Ministério da Saúde reunidos até quinta (21), 13 favelas da cidade do Rio contabilizaram mais mortes por Covid-19 que 14 estados do Brasil. Pela contagem, as favelas do Rio apresentavam 176 mortes por coronavírus, enquanto o estado de Goiás e o Distrito Federal tinham, juntas, 163 mortes. Entretanto, levando em conta a subnotificação dos casos, o número, tanto de casos confirmados e mortes, é superior ao registrado.

Fabio Ferreira, conhecido como Fabinho da Feira, presidente da Associação de Moradores da Roquete Pinto e Praia de Ramos, está num trabalho de conscientização para que os moradores fiquem em casa e usem máscaras.

De acordo com o Painel de Atualização de Coronavírus nas Favelas do Rio de Janeiro do Voz das Comunidades, ao todo são 735 moradores infectados, 85 de quinta (21), para sexta-feira (22). Em todo o Rio, mortes por coronavírus confirmadas em dois dias (terça e quarta) superaram assassinatos em qualquer mês de 2020. 

Automedicação é notada por gerente de farmácia da Vila do João. Paulo Cesar (32), gerente de uma farmácia da favela há cinco anos, conversou com o Maré de Notícias e informou que tem percebido muitas pessoas buscando remédios por conta própria. Hidroxicloroquina, ivermectina, azitromicina são os mais buscados, de acordo com o gerente. “Nunca vi tanta gente buscar pelo mesmo remédio”, enfatizou Paulo, sobre a ivermectina. “Houve um dia que em meia hora acabamos com um estoque de 50 a 100 unidades”, adicionou. De acordo com Paulo, até pessoas de outros bairros tem ido em busca desses medicamentos na unidade. Em contrapartida, o funcionário da farmácia também relatou que a busca por máscaras, luvas e álcool também aumentou no estabelecimento.

A Organização Mundial da Saúde informou hoje que a América do Sul é o novo epicentro da pandemia do novo coronavírus. O Brasil, entre os países da América do Sul, é o maior em número de casos e mortes por Covid-19. Até esta sexta-feira (22), foram confirmados mais de 330 mil pacientes e 21 mil mortes pela doença. 

Fruto de uma parceria da Ouvidoria Geral com a Coordenação de Saúde e Tutela Coletiva da Defensoria, canal recebe denúncias de problemas no sistema de saúde do estado do Rio de Janeiro. Problemas estruturais, como falta de máscaras e equipamentos de proteção individual, superlotação, falta de leitos, falta de medicamentos, podem ser enviados. As denúncias podem ser feitas anonimamente, e devem ser feitas por este link

Enfrentamento da Covid-19 nos presídios

Entrou em vigor esta semana resolução sobre enfrentamento da Covid-19 com diretrizes a serem seguidas nos presídios do Brasil. O documento publicado no Diário Oficial da União autoriza que o Departamento Penitenciário Nacional e outros órgãos responsáveis pela administração penitenciária pensem em alternativas estruturais para isolar os detentos. O texto veta o uso de contêineres ou qualquer outra estrutura similar para isolamento, ideia que foi estudada pelo Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária.

Prefeitura oferece acesso à plataforma de estudos

Secretaria Municipal de Educação (SME) abre cadastro para alunos da Rede Municipal de Ensino acessarem ferramenta que permite a professores e alunos adaptarem suas rotinas pedagógicas. O acesso à plataforma Microsoft Teams, que já era disponibilizado para professores e servidores da SME, foi estendido aos 640 mil alunos da rede pública municipal de ensino. Os estudantes da Educação Infantil ao Ensino de Jovens e Adultos podem ter acesso gratuito à conta de e-mail que permite entrar na Microsoft Teams.

Isadora fala sobre o acesso à saúde pública e sobre perda da tia por conta do coronavírus.

Dica do Nenê do Zap:

A dica do Nenê do Zap hoje é para os pais e familiares que andam com a cabeça cheia e sem ânimo por conta da pandemia. Atenção para não ter apenas atividades mecânicas com os pequenos, atendendo apenas as necessidades fisiológicas. O estímulo com as brincadeiras e outras interações são muito importantes para o desenvolvimento dos bebês e crianças na primeira infância.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui