Operação da Polícia Militar do Rio prejudica ações contra o COVID-19 na Maré

Por volta das 5h da manhã desta quarta-feira (29/04),  moradores relataram a presença de pelo menos dois “caveirões” da PMERJ com intenso tiroteio e automóveis depredados nas favelas Baixa do Sapateiro, Morro do Timbau e Nova Maré, três das 16 favelas que fazem parte da Maré.

Por volta das 8h da manhã, um dos “caveirões”  passou pela Praça do 18, na Baixa do Sapateiro arrastando uma moto e uma van foi perfurada no local.

A operação policial acontece em meio ao colapso na saúde na cidade. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a taxa de ocupação, na cidade do Rio,  de leitos de UTI para Covid-19 na rede SUS que inclui unidades municipais, estaduais e federais é de 97%. Já a taxa de ocupação dos leitos de enfermaria para pacientes com suspeita de Covid é de 93%.  Na UPA da Maré, unidade que atende a população das 16 favelas da Maré, profissionais noticiaram falta de médico e de materiais, além da trágica situação de estocar corpos de pacientes de Covid-19, por falta de espaço. Os profissionais da unidade ainda relataram de que  60% dos quase 200 pacientes  atendidos  apresentavam sintomas da doença. Nesta mesma região, onde aconteceu a operação policial desta quarta-feira, tiveram duas mortes suspeitas de Covid-19 no último final de semana. Os moradores estão extremamente abalados com a vivência da pandemia nas favelas e, mesmo diante desta situação, a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde informou que devido a operação policial, as Clínicas da Família Augusto Boal e Adib Jatene fecharam as  portas pela manhã de hoje, prejudicando o acesso dos moradores à atenção básica à saúde.

Ações do poder público e da sociedade civil que auxiliam na diminuição dos impactos da pandemia no território tiveram suas atividades interrompidas por conta da operação policial da PMERJ. O Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) Medalhista Olímpico Evandro Motta Marcondes Guerra noticiou que devido a instabilidade de segurança na região, a entrega de leite às crianças foi suspensa nesta quarta-feira. Iniciativas solidárias de entrega de cestas básicas para a população mais vulnerável também foram prejudicadas por conta da ação do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) que  atuou nesta região. Até o momento não obtivemos informações da assessoria de imprensa da PMERJ, nem da  Secretaria de Estado de Polícia Militar sobre a motivação da operação, do cumprimento de mandados e nem da justificativa para a  realização desta ação em meio a esta pandemia, sobretudo com o   aumento exponencial de casos da Covid-19 em toda cidade do Rio, inclusive na Maré. No Brasil foram 449 mortes a mais que nas últimas 24 horas, passando de 5 mil óbitos, segundo o Ministério da Saúde. Nas favelas cariocas são 171 casos confirmados e 24 mortes, segundo o portal Covid-19 nas Favelas. Mas a realidade é que milhares de casos estão sendo subnotificados,ou por falta de testes nas favelas, ou por falta de atendimento médico. 

Segundo relatos de moradores, a operação durou até o início da tarde, e não há notícias de mortos, feridos ou material apreendido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui