Os assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes

0
148
Brutal assassinato da vereadora rompeu as fronteiras da cidade e do país e indignou o mundo: quem matou e por que são perguntas que persistem um ano após a sua morte e não se calarão | Foto: Douglas Lopes

Por: Diretoria da Redes da Maré

Há exatamente um ano a vereadora Marielle Franco e o seu motorista Anderson Gomes foram brutamente assassinados. O crime ocorreu depois dela ter participado de um encontro com mulheres negras onde havia reafirmado seu compromisso com a defesa dos direitos humanos e de uma sociedade mais justa. Esse crime covarde, foi também um gravíssimo atentado contra a democracia brasileira porque tentou calar uma voz que esteve sempre ao lado dos mais pobres, das minorias e dos injustiçados.

 Marielle imprimiu, com sua força e energia, uma pauta voltada para combater as práticas que estruturam a sociedade desigual em que vivemos: o racismo, a homofobia, o machismo e a violência do Estado contra os pobres e favelados. Certamente, a defesa de uma sociedade mais justa, onde as pessoas pudessem ser respeitadas e viver melhor, incomodou a muitos grupos que defendem exatamente o oposto, ou seja, a manutenção das desigualdades sociais e dos privilégios, garantidos a partir da violência ou da exploração socioeconômica dos mais pobres. Não há dúvidas de que ao contrariar esses grupos, defensores de direitos humanos viram um alvo, como foi o caso de Marielle.

Os autores e mandantes dos assassinatos de Marielle e Anderson precisam ser encontrados, julgados e presos. Esse crime não pode ficar impune. A justiça precisa ser feita em nome da família, dos amigos e da própria democracia brasileira. Quem conheceu Marielle Franco lembrará sempre de seu inconfundível sorriso largo e de sua alegria contagiante, mesmo nos momentos mais difíceis. Lembrará ainda da mulher que defendia enfaticamente as ideias em que acreditava, mas sempre com respeito por quem pensava diferente.

Por isso, neste 14 de março de 2019, nós da Redes da Maré, que através do nosso eixo de trabalho “Segurança e Acesso à Justiça”, acompanhamos casos de violação de direitos na Favela da Maré, nos solidarizamos com as famílias de Marielle Franco e Anderson Gomes e nos unimos ao país na exigência por uma solução definitiva para o crime.  

Justiça para Marielle e Anderson!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui