Festa junina alegra os fins de semana na Maré

0
431
Apresentação de quadrilha no Arraia da Paz, no Parque União | Foto: Elisângela Leite

Moradores encontram lazer e resgate da tradição nordestina

Hélio Euclides

“Pamonha, curau, cuscuz, canjica, bolo de milho, pipoca, arroz doce, caldos, cocada, pé-de-moleque, paçoca, maçã-do-amor e bolo de fubá”, são algumas das comidas típicas de uma boa festa junina. Além dos quitutes, as quadrilhas, os enfeites, músicas e roupas coloridas são outras marcas dessa tradição. A festa se caracteriza pela valorização de ingredientes como milho; arroz, coco e amendoim, produtos de origem brasileira. O mês de junho tornou-se pequeno, e os festejos se estenderam para julho e, em alguns casos, agosto. Além das igrejas, a Associação de Moradores da Baixa do Sapateiro, a Casa das Mulheres e a Lona da Maré alegram a favela.

No dia 19 de junho, às 16h, a Casa das Mulheres realizou sua festa junina. O ‘Arraiá’ teve roda de coco, comidas típicas, música e quadrilha. A comemoração marcou a conclusão de cursos. “Pensamos numa confraternização do semestre, com a conclusão dos cursos do Maré de Beleza, Maré de Sabores e Alfabetização. O evento foi colaborativo, os alunos trouxeram seus pratos e deixaram farta a mesa. Ressalto a presença dos familiares, que abrilhantaram a festa, além de pessoas com roupas à caráter”, destacou Andressa Jorge, coordenadora da Casa das Mulheres. O grupo Kentaqui chamou atenção de todos, com a roda de coco, uma dança em ritmo da Região do Nordeste.

As igrejas da Maré também seguem a tradição e realizam as suas festas juninas. Quem abriu os festejos foi o “Arraiá da Jesus de Nazaré”, na Baixa do Sapateiro, nos dois primeiros fins de semana de junho, com direito a apresentação instrumental. Depois, o “Arraiá de São José”, na Vila do Pinheiro, alegrou segundo e terceiro finais de semana do mês, com muito forró. O “Arraiá do Navegantes”,  também Baixa do Sapateiro, não ficou para trás. Considerada a festa das igrejas mais antiga da Maré, abrilhantou o terceiro final de semana de junho. Fechando com chave de ouro o mês de junho, o “Arraiá da Paz”, no Parque União, com festa no segundo, terceiro e quarto finais de semana do mês, é o festejo com maior público. Em julho, ainda tem o “Arraiá da Nova Vida”, que promete diversão para a Nova Holanda.

A Associação da Baixa do Sapateiro realiza já em algumas edições o “Arraiá O Pequeno Mestre”, com barracas, comidas típicas, brincadeiras, queima de fogos e a presença de quadrilhas federadas de diversos locais, que se apresentam na Praça do 18. Ainda em julho, será realizado o “Arraiá da Lona”, na Nova Maré, celebrando os festejos populares, os chamados “Santos Juninos”, com uma programação para todos os públicos, contando com brincadeiras, gincanas e programação musical.

Origem das festas juninas*

Os historiadores apontam que as origens da festa junina estão diretamente relacionadas às festividades pagãs realizadas na Europa na passagem da primavera para o verão, momento chamado de solstício de verão (momento que o Sol atinge o maior grau de afastamento angular do equador), que no Hemisfério Norte acontece exatamente no mês de junho. Essas festas eram realizadas como forma de afastar os maus espíritos e qualquer praga que pudesse atingir a colheita. A festa originalmente pagã foi incorporada ao calendário festivo do catolicismo.

O começo da festa junina ao Brasil remonta ao século XVI. A festa era conhecida como festa joanina, em referência a São João, mas, ao longo dos anos, teve o nome alterado para festa junina, em referência ao mês no qual ocorre.. Inicialmente, a festa possuía um forte tom religioso – conotação essa que se perdeu em parte, uma vez que é vista por muitos mais como uma festividade popular. Durante as festas juninas no Brasil, são realizadas danças típicas, como as quadrilhas. Outra característica muito comum é a de se vestir de caipira de maneira caricata.

*Fragmentos do site Brasil Escola Uol/Daniel Neves       

Veja o calendário dos festejos na Maré:

Arraiá da Paz

Rua Guanabara, Nº 2 – Parque União

21, 22 e 23/06 (19h)

Arraiá da Lona

Rua Evanildo Alves, s/nº – Nova Maré

Dia 26/07 (15h)

Arraiá da Sagrada Família

Rua Tancredo Neves, s/nº – Nova Holanda

Todos os finais de semana de julho (19h)

Arraiá da Jesus de Nazaré

Rua Evanildo Alves, 83 – Baixa do Sapateiro

06, 07, 13 e 14/07 (19h)

Arraiá O Pequeno Mestre

Praça do 18 – Baixa do Sapateiro

Dias 06, 13, 20 e 27/07 (21h)

Arraiá da Nova Vida 2019

Rua Sargento Silva Nunes, 567 – Nova Holanda

Dias 12 e 13/07 (19h)


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui