Exército fuzila músico ‘por engano’

0
486
Foto: Fabio Teixeira - @fabioteixeira3762

80 tiros foram disparados contra o carro que levava a família a um chá de bebê; crime aconteceu em Guadalupe, Zona Norte

Por Camille Ramos

Na tarde de ontem, mais uma morte chocou a cidade. Desta vez, o soldados do Exército Brasileiro disparam 80 tiros contra o carro da família de Evaldo dos Santos Rosa, de 51 anos, que era músico e trabalhava como segurança. O crime aconteceu em Guadalupe, Zona Norte do Rio de Janeiro, quando a família de Evaldo passava pelo local a caminho de um chá de bebê. Segundo a apuração do G1, cinco pessoas estavam no carro. A mulher, o filho do músico e uma amiga conseguiram sair do carro sem nenhum ferimento. O Sogro de Evaldo, Sérgio Gonçalves de Araújo, foi atingido e socorrido. Até o fechamento desta matéria, inda não se tinha informações sobre seu estado de saúde. Um homem, ainda não identificado, também estava próximo à cena e foi baleado.

Em nota, o Comando Militar do Leste (CML) primeiro negou ter atirado contra uma família e disse ter respondido a uma “injusta agressão” de “assaltantes” próximo ao Piscinão de Deodoro. À noite, o CML informou, em nova nota, que o caso está sendo investigado pela Polícia Judiciária Militar com a supervisão do Ministério Público Militar. Evaldo deixa a mulher e um filho de sete anos.

Por quê?

Lidiane Malanquini, coordenadora do Eixo de Segurança Pública da Redes da Maré, correlaciona o crime a um padrão promovido pelas políticas de segurança do Estado na Zona Norte e periferias da cidade. “Como que o CML usa como justificativa metralhar um carro achando que era de bandidos? Como se o fato do carro ser de bandidos pudesse legitimar os 80 tiros? Como o território periférico, favelado e a população que vive neles é vista como um exército inimigo que pode ter o carro fuzilado? Então, independentemente de ser uma família ou bandidos, por que nesse lugar se pode dar tiros?”, questiona.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui