Mães da Maré participam do Encontro Nacional de Mães e Familiares de Vítimas do Estado

Da esquerda para a direita a assistente social da Redes da Maré Liliane, Claudia e Irone minutos antes do embarque para Goiânia

Evento acontece em Goiânia de 18 a 22 de maio; entre seus objetivos está o de promover debates com representantes do Poder Público

Jéssica Pires

Bruna Silva, mobilizadora do Eixo de Segurança Pública e Acesso à Justiça da Redes, 37, é moradora da Vila do Pinheiro desde que nasceu. Irone Santiago, costureira, 54, também mora na Vila do Pinheiro e há 36 anos. Claudia Oliveira, 45, é diarista e vive na Nova Holanda o tempo que tem de vida. Há algo em comum entre essas mulheres: a dor de ver a vida de seus filhos ser interrompida em consequência de operações policiais realizadas pelo Estado, na Maré. 

Cláudia teve o filho Jhonson morto em um confronto em novembro de 2018. Vitor, filho de Irone, ficou paraplégico após um confronto armado em fevereiro de 2013. Marcos Vinícius, de apenas 14 anos, filho de Bruna foi vítima letal de uma operação na Maré em junho de 2018. As três transformaram o luto em luta e, nesta semana, partiram para o Encontro Nacional de Mães e Familiares de Vítimas do Estado, que está em sua quarta edição e acontece de 18 a 22 de maio, em Goiânia (GO), com um dos dias da programação em Brasília. 

Unindo forças

Um dos objetivos do encontro é promover debates com representantes do Poder Público, dentre outras atividades. “A participação de mães da Maré, vítimas da violência do Estado, em um encontro dessa magnitude, é fundamental. Interagir com outras famílias, de diversos lugares do Brasil, permitirá que elas acessem um universo amplo e rico de possibilidades. Nosso intuito de contribuir para que essa viagem aconteça é promover que essas mães se fortaleçam, se acolham e retornem para Maré com novas perspectivas de mobilização coletiva”, explica Liliane Santos, assistente social do Eixo de Segurança Pública e Acesso à Justiça da Redes da Maré. 

 De acordo com a assistente social, o encontro também permitirá a troca de experiências e de ajuda para os casos dos seus filhos. “Estamos em um cenário político difícil para essas famílias e o momento exige unir forças. É uma necessidade estarmos juntas nesses processos”, disse Liliane Santos. 

Dia das Mães voltado para as vítimas da violência 

A Redes da Maré apoiou a participação das mães no encontro nacional. A ideia é que, ao retornarem, elas sejam as principais mobilizadoras de um evento em celebração ao Dia das Mães na Maré, que tem como destaque as mães vítimas de violência do Estado. O objetivo da celebração tardia (a previsão é que seja realizado no fim de maio ou início de junho) é promover reflexões sobre as ações do Estado na Maré, além de ser um espaço para trocas, fortalecimento e cuidado entre as participantes.

Evento acontece em Goiânia de 18 a 22 de maio; entre seus objetivos está o de promover debates com representantes do Poder Público

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui