Maré tem terceiro dia consecutivo de operação policial

0
1775
Policiais em operação no Morro do Timbau.

Mais um dia sem aula e sem atendimento médico; economia e cotidiano dos moradores também foram interrompidos

Jéssica Pires

Hoje, (12/6), pouco antes de 5h da manhã, pelo terceiro dia consecutivo na Maré, policiais militares iniciaram mais uma operação. As regiões impactadas, logo no início da manhã, desta vez foram as favelas Conjunto Esperança, Vila do João, Vila do Pinheiro, Conjunto Pinheiro e Salsa & Merengue. Mais um dia na Maré sem aulas, sem atendimento médico, população com medo, pavor, casas invadidas, carros arrombados, muitos e violentos confrontos armados, nenhum mandado policial, dois moradores feridos e um morto. 


Três dias em que unidades de saúde e escolas têm os atendimento interrompidos, e inúmeros moradores ficam sem atendimento médico. Ao todo foram 49 escolas e mais de 16 mil crianças sem aulas. Ainda pela manhã desta quarta-feira, a equipe da Redes da Maré recebeu informe de muitas casas invadidas e celulares revistados sem mandado judicial em vários pontos das cinco favelas onde a operação acontecia. Policiais militares circulavam a pé e em dois blindados pela região. Um morador foi atingido no braço esquerdo; outro de 65 anos também foi alvejado no braço; e uma moradora, de 28 anos foi morta com um tiro no peito.


Quatro horas depois do início da operação, a ação avançou para as favelas Nova Maré, Baixa do Sapateiro, Morro do Timbau e Conjunto Bento Ribeiro Dantas. A ação nessas favelas foram marcadas por intensas trocas de tiro. No Morro do Timbau muitos moradores ficaram impossibilitados de circular por aproximadamente duas horas devido aos confrontos. A grande circulação de policiais entrando nas favelas e a informação do constante pedido de reforços foi relatada por moradores.


Homens da polícia impediram moradores de socorrem as pessoas feridas e baleadas. Um comunicador do Maré de Notícias foi abordado de forma truculenta por homens da Polícia Militar, teve o celular revistado sem mandado judicial e o conteúdo apagado. É importante evidenciar que há três dias normativas da Ação Civil Pública da Maré vêm sendo descumpridas: operações policiais durante a madrugada, sem ambulância no local e viaturas sem câmeras de vídeo e GPS.


Segundo a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado da Polícia Militar, o Comando de Operações Especiais (COE) realizou a operação com atuação de equipes policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq), do Batalhão de Ações com Cães (BAC) e do Grupamento Aeromóvel (GAM) estão atuando na região. Paulo Roberto Taveira, conhecido como “Cara Preta” foi preso e, com ele, foi apreendida uma pistola. Ele estava ferido e foi encaminhado ao Hospital Geral de Bonsucesso. Foram apreendidas também uma espingarda calibre 12, dois painéis balísticos, carregadores, munições, drogas a serem contabilizadas e um bloqueador de sinal GPS na Vila do João.

A operação ainda está em curso


A equipe do Maré de Direitos esteve de plantão na Associação da Vila do João para acolher moradores que sofreram violências no dia de hoje e também recebeu denúncias pelo Whatsapp (21) 99924-6462 que serão encaminhadas para o Ministério Público Federal. O Ministério Público, na função de fiscalizar a legalidade das ações estará recebendo moradores que tiveram sua casa e pertences violados. Os moradores que tiveram sua casa invadida, quebrada, ou tenham passado por alguma situação constrangedora, podem comparecer hoje (dia 12 de junho), às 17h na Associação da Vila do João. A Redes da Maré e a Defensoria Pública acompanharão os moradores ao Ministério Público.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui