Militar mantém família em cárcere por 14 horas

Brasil está em 5º lugar entre 84 países com maior taxa de feminicídio no mundo de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Muitos casos divulgados nos primeiros meses do ano evidenciam que em 2019 o cenário não muda, ou piora.

Jéssica Pires

Ainda na terça-feira (14), começaram as negociações para que o tenente-coronel do Exército André Luiz do Amaral Rocha, 50, liberasse a esposa, Luciana Arminda, 45, e os filhos gêmeos, de 11 anos. A movimentação em torno do prédio da família iniciou por volta das 20h de terça, quando Luciana pediu socorro pela varanda do apartamento, que fica em Cascadura, e só terminou 14 horas depois, com a rendição de André.

Atiradores de elite, cães farejadores, além de médicos e psicólogos participaram da ação. Detalhe importante: Luciana já havia registrado denúncias contra o tenente na Delegacia da Mulher.

Trágica rotina

A cada dia nos deparamos com notícias que assustam não apenas pelo simples descumprimento de leis, como também pela violação de direitos humanos. A questão é que, na ponta das violações, estão sempre os mesmos perfis de pessoas: mulheres sofrendo violências, abusos, quando não o extremo do feminicídio. 

Segundo dados de um levantamento do Datafolha feito em fevereiro de 2019 para o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), 1,6 milhão de mulheres foram espancadas ou sofreram tentativa de estrangulamento no Brasil; enquanto 22 milhões (37,1%) passaram por algum tipo de assédio. O estudo mostra que as mulheres não estão seguras nem mesmo em suas casas. Entre os casos de violência, 42% ocorreram no ambiente doméstico. Após sofrer uma violência, mais da metade das mulheres (52%) não denunciou o agressor ou procurou ajuda.  O objetivo da pesquisa foi avaliar o impacto da violência doméstica no Brasil e considerou dados entre fevereiro de 2018 à fevereiro de 2019. 

Atendimento às mulheres na Maré e na cidade

O Maré de Direitos Mulheres realiza atendimentos com assistente social, psicóloga e advogada todos os sábados na Casa das Mulheres da Maré. O atendimento acontece de 9h às 13h. A Casa das Mulheres fica na Rua da Paz, número 42 – Parque União. Em caso de violência procure também uma Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam registre uma ocorrência. Outro canal é o 180 – Central de Atendimento à Mulher.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui