Rede de Saberes: atividade de boas-vindas do pré-vestibular 2020 foi de troca entre estudantes e profissionais

Fotos: Matheus Affonso

Na recepção oficial de alunos, falas reforçaram a importância da inserção do favelado na Universidade e de se valorizar a Educação pública e gratuita

Flávia Veloso

A aula inaugural oficial de 2020 do curso pré-vestibular (CPV) da Redes da Maré foi realizada na noite do dia seis de março, no Centro de Artes da Maré. O evento reuniu os alunos das três unidades: Vila do João, Vila dos Pinheiros e Nova Holanda.

Introduzindo as falas da noite, a coordenadora do projeto, Luana Silveira, apresentou ao público a equipe do CPV: coordenadores administrativa, pedagógico e do Eixo de Educação da Redes, além de assistente de coordenação, psicóloga e professores.

O curso pré-vestibular da Redes é o principal projeto da instituição, tanto por ser o primeiro, iniciado em 1998, quanto por ter o compromisso de aumentar o ingresso de mareenses na Universidade. Mesmo vizinha de uma das maiores universidades federais do país, a UFRJ, dados indicam que somente 2,4% de moradores da Maré entraram no ensino superior, e somente 1% concluiu a faculdade.

Kelly Marques, coordenadora do Eixo de Educação, ressaltou a importância do compromisso que o aluno deve ter com o CPV, considerando a dificuldade que é acessar o ensino superior, principalmente em um contexto de desmonte da Educação pública, sobretudo para o favelado.

Professor da disciplina de Movimentos Sociais e Atualidades, Daniel Remilik fez uma fala sobre o significado do nome ‘Redes da Maré’, explicando aos estudantes que eles também tecem essas redes: “Temos que ouvir mais, trocar mais e fazer novas conexões, e vocês também fazem parte dessas conexões. Somos todos tecedores.”

“Embora a Universidade esteja mais aberta a receber pessoas diferentes das classes média e alta, ainda está muito enraizada em comportamentos e assuntos elitizados. Cabe a cada um de nós continuar levando as demandas da favela, é assim que essa Universidade vai se abrir cada vez mais e sair daquele modelo do início do século XX”, falou o coordenador pedagógico e professor de Língua Portuguesa, Vitor Félix.

Ex-alunos do curso encerraram a noite contando suas experiências de entrar na faculdade. Aconselharam aos alunos que persistissem em seus objetivos, mesmo não passando na primeira, segunda ou até terceira tentativa. E acrescentaram um alerta: estar atento aos seus limites e respeitá-los.

Algumas dicas de estudo também foram incluídas às pautas da aula inaugural, como evitar faltar às aulas, seguir indicações de materiais, filmes séries e livros dos professores, prestar bastante atenção às aulas e mais ainda às de matérias específicas do curso superior desejado. Não menos importante, ajudar os colegas de classe com os estudos e também dando apoio emocional.

O espaço universitário não é pensado para a favela, tanto pela peneira que barra a entrada de estudantes periféricos quanto pelos problemas que eles enfrentam ao conseguir ingressar: questões econômicas, de conteúdo acadêmico e psicológicas. Por mais um ano, o CPV espera ajudar a inserir mais favelados na Universidade, para que eles possam ditar o rumo para uma verdadeira Educação democrática.

O curso pré-vestibular da Redes da Maré já ajudou a inserir mais de 100 pessoas em universidades públicas. As inscrições abrem todo final de ano, e são gratuitas. Siga a Redes na Maré nas redes sociais e acompanhe as novidades sobre este e mais projetos.

“Vaquinha” on-line para ex-aluna do CPV, graduando em Odontologia

Camila Felippe passou em 2019 para Odontologia na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), e precisou criar um financiamento para custear os materiais que precisa comprar para os oito períodos do curso. Para ajudar a Camila, acesse o link.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui