5 de junho: de olhos atentos ao meio ambiente e à sustentabilidade

Em celebração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, ONU faz campanha para #CombaterAPoluiçãoDoAr no Brasil

Flávia Veloso

Qual é a importância do meio ambiente para os seres vivos, em especial os seres humanos? A definição, não limitada a apenas à fauna (conjunto de animais) e à flora (conjunto de plantas), deve se estar atualizada na mente das pessoas, para que se possa pensar nos impactos que cada um pode causar no planeta e na própria vida. Segundo a Política Nacional do Meio Ambiente (PNMA) brasileira, esse termo é definido como “o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas”, ou seja todo elemento presente no mundo, desde árvores, animais e seres humanos até prédios e carros. O meio ambiente é a relação de todas as coisas vivas e não vivas, naturais e artificiais, na Terra.

Para manter equilibrada a relação entre recursos e consumo, foi criada a prática de desenvolvimento sustentável, que consiste em encontrar maneiras de se suprir as necessidades que têm as atuais gerações, sem comprometer as necessidades de gerações futuras. Presidente da Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento da Organização das Nações Unidas (ONU), de 1983, a médica Gro Harlem Brundtland disse que a ideia central do desenvolvimento sustentável é “um processo de mudança no qual a exploração dos recursos, o direcionamento dos investimentos, a orientação do desenvolvimento tecnológico e a mudança institucional estão em harmonia e reforçam o atual e futuro potencial para satisfazer as aspirações e necessidades humanas.”

O Brasil e o compromisso com o meio ambiente

Em tempos de cada vez mais discussões sobre a preservação do meio ambiente e preocupação com as ações humanas, que causam o aquecimento global, os governos devem estar mais atentos a soluções, pensando em sustentabilidade. Este ano, entretanto, não tem sido de participação satisfatória do Estado nessa questão. Diversas decisões tomadas pelo governo brasileiro têm ido na contramão do debate em prol do meio ambiente e das práticas de desenvolvimento sustentável.

Leia também:

Desmatamento acelera em 5 meses de governo Bolsonaro e atinge maior velocidade em uma década

Ritmo de liberação de agrotóxicos em 2019 é o maior já registrado

Brasil perdeu 85 áreas de conservação ambiental, diz estudo

Brasil produz mais lixo, mas não avança em coleta seletiva

O ar que o país respira

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), um estudo atualizado em 2016 aponta que a poluição do ar provoca mais de 50 mil mortes por ano no Brasil. A razão para isso pode ser explicada por uma pesquisa feita pelo Instituto Saúde e Sustentabilidade em parceria com o Ministério Público Federal, a qual mostra que a maioria (74%) dos estados brasileiras deixam de realizar ou realizam insuficientemente o monitoramento da qualidade do ar.

Pensando na alarmante condição do ar aqui e no restante do mundo, a ONU Meio Ambiente, em celebração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, está promovendo, de maio a junho, eventos e ações em todo o país para #CombaterAPoluiçãoDoAr, conscientizando sobre os perigos da poluição do ar e formas de combate.

A favela em busca de um ar mais puro

Impulsionada pela preocupação com a temperatura e a qualidade da Maré, que é localizada entre as três principais vias automobilísticas da cidade, o projeto Maré Verde, da Redes da Maré, produz atividades em parceria com a ComlurbEco MaréMuda Maré e algumas escolas, que envolvem os moradores em causas socioambientais. O projeto, desde a sua criação, em 2018, já realizou oficinas de educação ambiental e mutirões de plantio de árvores.

Conheça também o VOZ ECOA, documentário sobre iniciativas verdes nas favelas.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui