A vida não foi um sopro para Alê Makkeda

A vida não foi um sopro para Alê Makkeda

História de legado, força e alegria em movimentos sociais marcam a trajetória da ativista Alessandra Ramos 

Por Samara Oliveira em 16/05/2022 às 17h30. Editado por Daniele Moura.

Dizem que a vida é um sopro. Quando o mundo perde pessoas como Alessandra Ramos Makkeda, a sensação que fica é essa mesmo. No entanto, com toda representatividade que carregava consigo, sua vida não passou como detalhe.

Mulher negra com uma longa história de luta no movimento LGBTQIA+, transsexual, intérprete de libras, educadora social, ativista dos Direitos Humanos, Alessandra morreu aos 40 anos após um mal súbito na tarde de ontem (15/05). A informação foi confirmada pela família.

Alê Makkeda foi assessora parlamentar do deputado federal Jean Wyllys e, nos últimos anos, da deputada estadual Dani Monteiro (PSOL).  Conhecida por muitos, ela fundou o Instituto Transformar Shelida Ayana, formado por Mulheres e Homens Trans, Transmasculines e Travestis, que atua no combate à LGBTIfobia.  Sendo referência nacional e internacionalmente em movimentos sociais, a educadora recebeu diversas homenagens nas redes sociais. Amigos, figuras públicas, coletivos e organizações deixaram sua homenagem.

“Infelizmente uma notícia triste da perda de uma de nós no dia em que celebramos nossa luta. Neste 15 de maio sua partida nos entristece e nos alenta o orgulho pela pessoa transvestigenere que ela foi”, escreveu em um post no Instagram a Associação Nacional de Travestis e Transsexuais (ANTRA). 

“Partiu hoje para o outro plano deixando uma lacuna gigante e um legado de ensinamentos de luta e resistência”, publicou o Fórum Nacional de Travestis e Transsexuais Negras e Negros (FONATRANS), do qual Alê foi uma das fundadoras.

Parlamentares como Dani Monteiro, Tainá de Paula, Renata Souza e Tarcisio Motta também prestaram suas homenagens nas redes sociais. 

“Alessandra Ramos Makkeda, uma mulher extraordinária, de aguçada inteligência, força incrível e transativista importantíssima, nos deixou hoje. Recebemos essa triste notícia há pouco e estamos sem acreditar. Uma grande perda para todas nós. Militante imprescindível, deixa um importantíssimo legado para a luta por um mundo sem racismo e LGBTfobia. Que saudade sentiremos da sua força, do seu sorriso largo e da sua generosidade! Nosso abraço apertado na família. Que dor! Alessandra, hoje e sempre!”

Talíria Petrone, deputada federal no Instagram

Ela foi homenageada, hoje  na audiência pública “Enfrentar a discriminação contra LGBTQIA+ no Rio”, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Na homenagem, os deputados fizeram um balanço das políticas públicas para a população LGBTI+ do estado nas áreas de educação, trabalho, saúde, assistência social, segurança e direitos.

O enterro será amanhã (17/05), às 10h30, no Cemitério Ricardo de Albuquerque, localizado na Estrada Marechal Alencastro, 1743.

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionar Ctrl + Enter.

Samara Oliveira

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Nossos editores são notificados.