Anvisa investigará morte em grávida que recebeu vacina Astrazeneca; Rio e São Paulo suspendem imunização ao grupo

Data:

Por Edu Carvalho, em 11/05/2021 às 09h43

Na noite da última segunda-feira, 10, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, emitiu comunicado recomendando a suspensão imediata do uso da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca/Fiocruz para mulheres gestantes.

A decisão é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma contínua para o uso das vacinas contra a covid-19 no país. O Ministério da Saúde fará uma análise de uma grávida que veio a óbito do espaço de tempo em que recebeu o imunizante. Ainda não existe laudo clínico que certifique as causas da morte.

“O uso off label de vacinas, ou seja, em situações não previstas na bula, só deve ser feito mediante avaliação individual por um profissional de saúde que considere os riscos e benefícios da vacina para a paciente. A bula atual da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca não recomenda o uso da vacina sem orientação médica”, ressaltou a Anvisa.

Com aval da Agência, estão liberadas para aplicação no grupo as vacinas Coronavac e a Pfizer.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro informou que desde o início da vacinação de gestantes, ”cumpre a orientação recomendada pela nota da Anvisa”. Mas até que a investigação deste novo caso seja realizada e e finalizada, ”por precaução, a SMS suspende a vacinação de gestantes e purérperas”. A Prefeitura de São Paulo também acata a decisão, até que ocorra uma nova orientação por meio do Programa Nacional de Imunização.

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Vale a pena ler de novo: 3 matérias sobre o Vacina Maré

No 'Vale a Pena Ler de Novo' desta semana, o Maré de Notícias resgata três matérias sobre a campanha #VacinaMaré, que teve início no fim de julho de 2021 e foi um marco no combate à covid-19 no território