Baía de Guanabara terá Universidade do Mar

Baía de Guanabara terá Universidade do Mar

Por Comunicação Movimento Baía Viva, em 23/02/2021 às 10h30

Na última sexta-feira, 19, aconteceu uma importante reunião virtual sobre a Universidade do Mar. A iniciativa insere-se na perspectiva da Década dos Oceanos (2021-2030), instituída pela ONU, e funcionará como uma universidade aberta oferecendo cursos livres voltados aos insulanos e comunidades pesqueiras, projetos de extensão universitária e educação ambiental, ações de monitoramento ambiental, gestão do lixo marinho e de conservação da vida marinha, já que algumas espécies como o boto-cinza – símbolo do brasão do Rio de Janeiro já é considerado ameaçado de extinção.

Participaram o promotor de justiça José Alexandre Maximino Motta, coordenador do  Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente, o GAEMA, do Ministério Público do Estado (MP-RJ); as três instituições proponentes do projeto – a MORENA Associação de Moradores de Paquetá, o Movimento Baía Viva e a Reitoria da UERJ, e representantes da Secretaria de Cultura Municipal do Rio de Janeiro (SMC) Ericka Gavinho, Vera Saboya e Flávio Teixeira e Maria Clara pela Secretaria do Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI). Atualmente, cerca de 25 departamentos e laboratórios de diversas universidades públicas e privadas, órgãos públicos, entidades da sociedade civil e do setor pesqueiro já apresentaram cartas de apoio institucional à implantação da UNIMAR, entre elas a reitora da UFRJ, a professora Denise Pires de Carvalho.

Na reunião foram debatidas formas de garantir recursos para a restauração do Solar Del Rey de Paquetá e a viabilidade de compatibilização dos usos do espaço como centro cultural e biblioteca pública, antiga reivindicação da comunidade, com as atividades educacionais e científicas da Universidade do Mar. O projeto da Universidade do Mar, pensado originalmente para ser implantado somente na Ilha de Brocoió, passou a conceber a possibilidade de ser também sediado, de modo compartilhado, no Solar Del Rey.

Em janeiro deste ano, foi formada uma comissão de moradores vinculada à MORENA para debater o futuro projeto de uso do Solar após seu restauro e propor formas para ampliar esse debate para os diversos segmentos da comunidade de Paquetá. O projeto de restauração do Solar Del Rey é fruto de uma intensa luta comunitária desde que a única Biblioteca Pública do bairro foi desativada e fechada há 11 anos. Desde então, este imóvel tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) encontra-se fechado, em graves condições de conservação. Está em fase de aprovação final pelo IPHAN, o projeto executivo e a planilha de custos para a obra de restauração elaborada pela Prefeitura.

Edu Carvalho

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *