Casa Resistências da Maré completa 1 ano e recebe medalha Chico Mendes

Data:

Aniversário do espaço contou com um dia de programação e homenagem a apoiadores

Samara Oliveira

Há um ano a Casa Resistências segue fazendo jus ao nome, atuando no território da Maré como um espaço de cultura, acolhimento e de luta pela garantia dos direitos de mulheres lésbicas. Em comemoração, no último sábado (1), o espaço promoveu um dia de festa com uma programação que contou com massagem corporal, roda de conversa “papinho sapatão” que falou sobre desejos e sonhos para a casa, assim como perspectivas e possibilidades para mulheres lésbicas de favelas. 

“Ao longo desse primeiro ano o desafio foi muito grande, a Maré é um território com muitos movimentos sociais com grande multiplicidade de pautas e algumas mobilizam muito, e outras, como nossa pauta de lésbicas e mulheres LBT, nem tanto. Assim o desafio da casa resistências no primeiro ano foi se mostrar necessária, se fazer referência e isso aconteceu. Para os próximos anos, queremos construir ações na casa a partir dos sonhos e desejos que nos chegam pelas mulheres LBT da Maré. É sobre esse pilar que nosso planejamento estratégico dos próximos três anos será erguido”

Dayana Gusmão, uma das coordenadoras do espaço
Foto: Arquivo pessoal | Apoiadoras da casa debateram sobre planejamento estratégico nos próximos anos

A festividade também homenageou pessoas e grupos que apoiaram a casa neste primeiro ano, como as deputadas estaduais Renata Souza, Dani Monteiro e a vereadora Mônica Benício. A Casa Oxum, Instituto de Psicologia da UFF, Projeto Floresta Cidade da UFRJ, Projeto social Pra Elas, Mariellas FC, Crias do Tijolinho, Redes da Maré, Centro de Estudos e Ações Solidárias da Maré (CEASM), Espaço Casulo, Instituto Maria e João Aleixo, além de Flavinha Candido, Evelyn Silva, Maíra Garrido e Grace Kelly, também receberam a premiação. 

Deixando o primeiro ano de atividade ainda mais especial, a Casa Resistência foi indicada pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio para receber a Medalha Chico Mendes, uma condecoração criada pela ONG brasileira Grupo Tortura Nunca Mais para homenagear pessoas ou grupos que lutam pelos direitos humanos e por uma sociedade mais justa. A entrega da medalha foi realizada na última segunda (3), na Capela Ecumênica da UERJ, no Maracanã.

Foto: Divulgação | Após comemorar um ano de trabalho na Maré, Casa Resistências recebe medalha Chico Mendes

“Receber esse reconhecimento dois dias após a comemoração de 1 ano da casa é de extrema emoção, ainda mais se tratando de um prêmio desse nível. Além do reconhecimento, ele traz gás para que possamos continuar nesse caminho que estamos traçando. Sobretudo, se trata também de como acolhemos as meninas e mulheres que chegam até nós, já que somos contra a essa política de manicômio, onde as pessoas vivem presas nos espaços onde elas deveriam se sentir livres”, comenta Camila Felipe, que também coordena a Casa Resistências. 

Para conhecer mais sobre a iniciativa, busque por @resistencialesbica_ no Instagram.

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Povo negro resiste frente às estruturas de discriminação racial 

Racismo institucional é alimentado pela falta de reconhecimento do racismo estrutural, pela sub-representação de pessoas negras em cargos de liderança e pelo apagamento da contribuição e identidade negra na história e na cultura

Evento leva atividades pós-carnavalescas gratuitas para Fiocruz

Amanhã, das 10 às 16h, atração musical, atividades externas, oficinas, exposições e teatro dão o tom do “Quero + Folia no Museu”, um evento que vai abrir as portas da FioCruz