Férias: o que fazer com a criançada?

Atividade da colônia de férias da Lona Cultural na Vila Olímpica da Maré | Foto: Douglas Lopes

Maré de Notícias # 95 – Dezembro de 2018

Período de brincadeiras é importante para o aprendizado. Confira as dicas do que fazer com os pequenos.

Por Maria Morganti

Para muitas mães, pais e responsáveis, o período que começa em meados de dezembro é de desespero: são as férias escolares. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, este ano o recesso começa oficialmente no dia 24 de dezembro e só termina em meados de janeiro. Geralmente, a volta às aulas acontece nas primeiras semanas de fevereiro. Na casa da moradora da Nova Holanda e autônoma Cleomacia Rodrigues Souza, a rotina muda completamente. Ela tem três filhos, Ycaro, de 11 anos; Kathellyn, de 6; e Giovanna de 3 aninhos. Cleomacia conta que em tempos de aula, a manhã é de correria. “Quando vamos sair de casa é aquela zona. Arrumo um, arrumo outra, e assim vai. Eu que arrumo os três. Primeiro a pequena, depois a outra, depois o garoto”. Já na época de férias, tudo muda. “Quando eles entram de férias, eles tomam café de manhã, depois almoçam, ficam vendo televisão, jantam e vão dormir”, conta a mãe.

“O tempo das férias é fundamental e de extrema importância para o descanso físico e psicológico, além de ser uma ocasião ideal para reorganizar os pensamentos. Saber que uma etapa termina e você tem um merecido descanso para retomar uma etapa seguinte é essencial”, afirma a pedagoga Ana Lúcia Monteiro Pereira.

Para a especialista, o “brincar livre, sem horário para terminar, é muito importante e altamente estimulante. É nesse momento que a criança consegue criar, aplicar o conhecimento, extrapolar o que está aprendendo na escola, sem compromisso ou pressão. As férias são fundamentais para que consigam fixar os ensinamentos adquiridos durante o semestre e retomarem de modo mais eficiente e criativo”. E acrescenta:  “a função dos pais não é a de escolher os programas, porém, orientar e mediar as atividades”.

Na casa da Cleomacia, então, está tudo em ordem. Segundo ela, eles não param de brincar. Para ter mais opções, o Maré de Notícias fez uma seleção incrível de programação especial de férias para a criançada. Opção é o que não vai faltar:

Museu da Vida

Bem perto da Maré, opções gratuitas para se divertir aprendendo ciência, arte e cultura de um jeito muito especial. É o Museu da Vida, que fica dentro da Fiocruz, na Av. Brasil, nº 4365, Manguinhos. Lá dentro, tem o Parque da Ciência, que aborda temas sobre energia, comunicação, química, física e biologia, sala de exposições e borboletário. Para se ter uma ideia, as crianças poderão escalar uma célula gigante. E ainda terão a oportunidade de visitar o imponente Castelo e saber toda a história por trás daquele palácio que encanta quem passa pela Avenida Brasil.

O espaço é uma delícia, cheio de árvores, flores, aves e está aberto para visitação tanto durante a semana quanto aos sábados. Para fazer a visita em família ou em grupos de até 10 pessoas, não é necessário fazer agendamento durante a semana. Basta ir até o Centro de Recepção do Museu da Vida e pedir para ser encaixado num grupo escolar dentro dos seguintes horários: 9h, 10h30, 13h30 e 15h.

 Aos sábados, o ano inteiro, o espaço está aberto ao público sem a necessidade de agendamento: para famílias, qualquer pessoa e qualquer tipo de grupo, sem limite de idade e de quantidade de pessoas. O Museu da Vida fica aberto das 10h às 16h, com uma equipe de atendimento para orientações e para mostrar os espaços aos visitantes. Nos feriados que caem nos sábados, os espaços também são abertos normalmente. É só chegar. Domingos, segundas-feiras e feriados durante a semana o local fica fechado.

                Para agendar uma visita ao Museu da Vida durante a semana com grupos escolares, de faculdades e instituições diversas, deve-se entrar em contato pelo telefone (21) 2590-6747. As visitas agendadas durante a semana acontecem de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 16h30. O grupo deve ter com no máximo 42 pessoas, já incluindo os responsáveis. O agendamento precisa ser feito com um mês de antecedência ao dia em que se pretende visitar.

 A Fiocruz disponibiliza ainda um canal de contato com o Museu da Vida para solicitação de visita, com preenchimento de formulário neste link:

http://www.museudavida.fiocruz.br/index.php/agende

Toda a programação é gratuita, há estacionamento, também de graça, para carros e ônibus. Lá dentro, tem opção de alimentação, que sai por conta dos visitantes. Uma boa dica é levar lanchinho de casa e comer lá dentro. O que não falta é espaço para estender uma canga e começar a comilança.

 

Quinta da Boa Vista

                A Quinta da Boa Vista é considerada pela Riotur, Órgão de turismo da Prefeitura, um dos maiores parques urbanos da cidade, com cerca de 155 mil m2. Tem lago, jardins e, em dias de sol de verão, é uma ótima opção para reunir a família e fazer um piquenique. Uma boa dica é levar pedaços de papelão. Como algumas áreas do Parque com grama são íngremes, dá pra brincar de escorregar de lá de cima até as partes mais baixas. É diversão na certa! Também tem pedalinho no lago principal, quadras poliesportivas e passeio pelas grutas artificiais, que atraem muitos jovens e crianças. O Parque abre, diariamente, das 8h às 18h, e a entrada é gratuita.

Como chegar: é só pegar o 665 no ponto da Passarela 9 da Avenida Brasil, sentido Centro.

Parque Ecológico do Pinheiro

E que tal um piquenique no Parque Ecológico do Pinheiro? É aqui dentro da Maré e o esquema pode ser o mesmo. Cada um leva uma coisa para comer e para beber, alguém leva a toalha de mesa e a festa está pronta. O Parque, que tem 50 mil m², fica aberto 24 horas por dia. O espaço tem anfiteatro, área de lazer com brinquedos, além de duas quadras esportivas. A boa é chegar cedo, por causa do calor, ou estender a toalha de comes e bebes pelo fim da tarde. Quem sabe o pôr do sol da parte alta do Parque não rende muitas fotos para o Facebook?

 

Parque Shanghai

Para muitos, ele é o Parque de diversões mais tradicional de toda a Zona Norte. Segundo o site “Parque de diversão, diversão é solução sim”, o Parque Shanghai existe desde 1919 e tem a sua sede na Penha há mais de 50 anos. A memória da infância de muitos moradores do Complexo da Penha e arredores confirma essa informação. O Parque fica no Largo da Penha, 19, e funciona de quinta-feira a domingo. Nos dias de semana a partir das 18h até as 22h, e nos fins de semana, sábado e domingo, está aberto a partir das 14h. A entrada é de graça, mas o passaporte para brincar quinta e sexta-feira sai por R$ 15 e sábados, domingos e feriados, R$ 30. Tem brinquedos para todas as idades, como montanha russa, cavalo de carrossel, trem fantasma, carrinho bate-bate e muito mais. Para outras informações, ligue: (21) 2270-3566

Ilha Fiscal

                Um passeio de barco com um visual de cartão-postal e, ainda por cima, uma aula de História. O passeio para a Ilha Fiscal é a garantia disso tudo de uma vez só. No meio da Baía de Guanabara, o castelo que foi sede do evento que ficou conhecido como “o último baile do Império”, realizado poucos dias antes da Proclamação da República, pode ser explorado com o auxílio de guias especializados que mostram os salões e as exposições alocadas por lá, além de um pouco do trabalho da Marinha do Brasil em locais como a Antártida.

Pra ir até lá, é preciso chegar ao Espaço Cultural da Marinha, que fica no Centro, na Avenida Alfred Agache, nº 215. De lá, o passeio até à Ilha é realizado com uma escuna, e a “viagem” dura cerca de 10 minutos. Você ainda pode conhecer o Navio Bauru, que participou da Segunda Guerra Mundial, que fica atracado no píer, assim como o Submarino Riachuelo. A visitação de ambas as embarcações é feita de quarta a domingo, das 12h às 17h. Às terças a visitação é gratuita. Todos os ingressos podem ser adquiridos no Espaço Cultural da Marinha e custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

De quinta a domingo, a visitação pode ser feita em três horários: 12h30, 14h e 15h30 e os ingressos são vendidos no período das 11h às 15h10. O embarque acontece 20 minutos antes. Para visitar o Submarino Riachuelo e Navio Bauru são cobrados ingressos à parte: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia) – um ingresso dá direito a duas visitas.

Lona da Maré

Para informações sobre a programação de férias, ligue para (21) 3105-6815.

Vila Olímpica da Maré

Para informações sobre a programação de férias, ligue para (21) 3977-5788.

Projeto Botinho no Piscinão de Ramos

O projeto Botinho, oferecido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), que também é realizado no Piscinão de Ramos, foi criado para promover a prevenção de acidentes marítimos com muita brincadeira. Além de aprender o básico de primeiros socorros, as crianças aprendem noções de preservação do meio ambiente, orientações sobre as condições do mar e o que fazer para evitar afogamentos. Até o fechamento desta reportagem, a data de abertura de inscrições para o projeto ainda não havia sido divulgada. Recomenda-se que os interessados acompanhem as informações pelo site do Corpo de Bombeiros: http://www.cbmerj.rj.gov.br/.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui