“D” de doação: abrigo de cães organiza arrecadação neste domingo

Heloisa Gomes e Bruna Saraiva, fundadoras do abrigo Ajuda Patas, na Praia de Ramos. Foto: Arquivo pessoal

“D” de doação: abrigo de cães organiza arrecadação neste domingo

Idealizadoras de abrigo farão coleta de materiais reciclados para, em troca, conseguir comprar ração

Por Hélio Euclides, em 30/04/2021 às 13h40
Editado por Andressa Cabral Botelho

Em meio às dificuldades, surgiu uma ideia. Responsáveis pelo abrigo Ajuda Patas, que acolhe cachorros na Praia de Ramos em situação de abandono ou maus tratos, resolveram realizar duas ações em uma, cuidando do meio ambiente e dos animais. No domingo, 02 de maio, as idealizadoras do projeto vão realizar no abrigo o evento DIA D, para arrecadar tampinhas de plástico para reciclagem. O material coletado será vendido e o valor arrecadado revertido em cirurgias e ração. 

O evento, organizado por Bruna Saraiva e Heloísa Gomes, fundadoras da ONG, espera conscientizar a população e mostrar que a reciclagem das tampinhas, além de ajudar o meio ambiente, também pode colaborar com outras ações, uma delas é o cuidado com os animais. “O valor não é muito alto, mas aprendemos que o pouco se torna muito quando fazemos com amor e a logística certa”, explica Bruna. Neste mesmo dia, as organizadoras do evento também receberão doação de outros itens importantes para o funcionamento da instituição, como ração, patês, cobertores, potes, brinquedos, caminhas novas ou usadas, dentre outros. 

A ação, que visa unir moradores e voluntários, possibilitará que os visitantes realizem as atividades cotidianas do abrigo, como dar banho nos animais, passear e, quem sabe, dar um mergulho recreativo no Piscinão de Ramos com os pets. “Os moradores precisam se conscientizar que o trabalho do abrigo é muito importante para a comunidade. De todos as vidas que salvamos, 80% são de animais da comunidade. Queremos conscientizar não só com palavras e sim fazendo com que as pessoas possam colocar a mão na massa, para que mais pessoas da Maré se tornem voluntárias”, destaca Bruna, lembrando que hoje a maioria dos voluntários do abrigo não são moradores da região. A instituição cuida dos animais e garante o tratamento para aqueles que apresentem alguma sequela causada pelos maus-tratos, para que tenham o retorno da plena saúde. 

No evento, as crianças poderão tirar fotos com os cães e, no início da noite, haverá uma edição especial de cinema, o Cinecão. Em parceria com o Cineminha no Beco, o músico mareense Bhega Silva e seus apoiadores levarão o seu projeto de cinema itinerante para o abrigo para a exibição do filme 101 Dálmatas, com lanches para a criançada. 

Uma união pelos animais

O trabalho de Heloísa começou em 2017, quando transformou a sua casa em um lar para cães. O início de tudo foi quando resgatou um pitbull, o Maicon, após um atropelamento que o deixou com uma das patas esmagadas. De lá para cá, foram muitos os resgates, alguns de cães com rabo cortado, outros de animais com patinha quebrada e gatos cegos. 

A casa de Heloísa já estava pequena para tanto trabalho. Então, ela conseguiu autorização para usar um terreno próximo ao Piscinão. No início, o espaço tinha um aspecto de abandono e era cheio de lixo. O abrigo iniciou de forma improvisada no final de 2017, depois veio a construção do muro, com materiais doados por amigos. Fábio Ferreira, conhecido como Fabinho da Feira, presidente da Associação de Moradores da Roquete Pinto e Praia de Ramos, pediu apoio da Cedae Maré, que instalou água e esgoto. O próximo passo é a instalação de um medidor de energia para que o abrigo tenha luz elétrica.

Heloísa e Bruna junto aos cães do abrigo. Foto: Arquivo pessoal

Um dos maiores problemas do abrigo é a alimentação dos cães e gatos, que consomem 40 quilos de ração diariamente. “É muito difícil conseguir ração. Todos os dias acordamos sem alimentos e precisamos correr atrás. É uma luta. Os órgãos públicos não ajudam e, para piorar, as pessoas acham que recebo salário ou que eu vendo ração”, confessa Heloisa. Ela lembra que a satisfação é quando resgata algum cão atropelado na Avenida Brasil e depois do cuidado e carinho, volta a ser um animal saudável. Além dos 100 cachorros, a protetora ainda cria 80 gatos em uma casa na favela. O  único apoio governamental que Bruna e Heloisa recebem é por meio das castrações para os animais do abrigo. 

O espaço preza muito pela saúde dos animais. Na questão da ração, o grupo conseguiu sensibilizar apoiadores que proporcionam rações da linha Premier, Golden e Vitta. “Procuramos parcerias, como o American Pet, que hoje nos ajuda na divulgação dos nossos animais para adoção e também permite pontos de doações nas suas lojas”, comemora Bruna, destacando que ela e Heloísa também fazem palestras com crianças a fim de conscientizar sobre maus-tratos.

Como participar

O abrigo fica na Avenida Guanabara, 41, Praia de Ramos, ao lado do Corpo de Bombeiro. Quem quiser ajudar o abrigo ou o evento, pode entrar em contato com os organizadores mandando mensagens pelo Facebook e Instagram.

Andressa Cabral Botelho

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *