Mesmo em quarentena, operação policial acontece na Maré

Durante segunda semana de isolamento social (desde 16/3), Marcílio Dias, uma das 16 favelas que compõe a Maré, é alvo de operação policial dentro de prédio residencial e deixando 1 morto e 4 feridos.

Às 7h da manhã desta sexta-feira, (27/3) no fim da segunda semana de isolamento social recomendado pelo Ministério da Saúde, a favela Marcílio Dias, localizada na Maré, é alvo de operação policial da PMERJ. Segundo relatos de moradores, a região amanheceu com disparos de tiros. O Posto de saúde João Cândido não funcionou, em meio a pandemia do novo Coronavírus.

De acordo moradores, policiais do 16º batalhão da Polícia Militar chegaram no território num carro particular logo no início da manhã. Em seguida, carros da PMERJ e um caveirão entraram na comunidade Garis que estavam se preparando para a limpeza das ruas, disseram que foram hostilizados pelos policiais.

A equipe do Maré de Direitos, projeto da Redes da Maré de atendimento a vítimas de violações de direitos, recebeu a informação de que policiais invadiram um prédio onde houve intensa troca de tiros. Uma casa foi arrombada, onde três jovens foram feridos e um morto. Uma senhora, moradora do local, relatou que houve troca de tiros dentro de casa.

A Delegacia de Homicídios realizou perícia no local por volta das 10h, acompanhada da Coordenadoria de Recursos Especiais – CORE. Os três jovens feridos e o morto foram levados ao Hospital Getúlio Vargas. Na casa onde os jovens estavam havia muito sangue e marcas de tiro pelas paredes e móveis. Até às 14h um caveirão e um carro de polícia estavam
Na entrada da favela.

A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informou em nota que, na manhã desta sexta-feira (27/3), policiais militares do 16ºBPM (Olaria) foram acionados, através do serviço 190, para checar denúncia de carga roubada em Marcílio Dias. De acordo com o informado pela assessoria, um policial e três jovens foram feridos, e encaminhados ao Hospital Estadual Getúlio Vargas. A equipe do Maré de Direitos continua acompanhando o caso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui