Duas novas clínicas da família na Maré

Data:

Clínicas da Família nascem de reivindicação feita pela população da Maré

No início da década de 1990 foram criados seis postos de saúde na Maré, que funcionavam nos CIEPs e eram administrados pelo Movimento Maré Limpa. De lá para cá, a Maré cresceu e os “postinhos” se sobrecarregaram. Apesar de terem status de Centros de Saúde, as instalações não tinham o tamanho das necessidades médicas. O Coletivo Maré que Queremos, que reúne 16 associações de moradores, percebeu o sofrimento da população e entregou um documento à antiga gestão municipal, com reivindicações, entre elas a criação de quatro Clínicas da Família.

A Secretaria Municipal de Saúde já queria devolver os espaços para as escolas. Os profissionais que estavam alocados no CIEP Leonel Brizola foram para o novo prédio do CMS Américo Veloso, na Praia de Ramos. Foi criada a primeira Clínica da Família da Maré, Augusto Boal, onde existia o antigo SESI, que acomodou os pacientes e profissionais do CMS Operário Vicente Mariano. Depois veio a Clínica da Família Abid Jatene, que extinguiu o CMS Ministro Gustavo Capanema, na Vila dos Pinheiros.

Duas novas clínicas

Ao lado do BRT Maré, no Parque União, ainda em outubro deve ser inaugurada a terceira Clínica da Família: “irão ser instalados os equipamentos da saúde bucal, as adequações das instalações de água e ligações de luz”, destaca Luiz Octávio, coordenador de demandas institucionais da Área de Planejamento. A unidade vai receber os profissionais e pacientes do CSM Hélio Smidt e CSM Parque União.  “Para a abertura, aqui no Parque União, vai ter um mutirão da Comlurb e do Parques e Jardins. A CET Rio vai instalar um semáforo no local”, afirmou Hildebrando Gonçalves, o Del, superintendente regional de Ramos.

A quarta Clínica da Família vai funcionar dividindo instalações com o CVT. “Estamos em fase de fechamento de projeto, para adaptar o local para uma Clínica da Família. Com essa quarta clínica, a saúde sai das estruturas dos CIEPs”, revelou Mariana Scardua, coordenadora-geral da AP 3.1. Para essa Clínica serão transferidos pacientes e funcionários do CMS Samora Machel e do CMS Nova Holanda, que funciona no CIEP Elis Regina.

Previous article
Next article

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Ativista e jornalista da Maré no G20

Do Conjunto de Favelas da Maré à conferência da 19a reunião de cúpula do G20, a trajetória de Kaya Bee, moradora da Nova Holanda é um exemplo inspirador na luta por um futuro mais justo e sustentável. Aos 27 anos, mãe, ativista climática e estudante de jornalismo, ela carrega a força e a resiliência de quem enfrenta os desafios da vida na favela com a determinação de transformar a realidade para os mareenses.