Editorial: Para sentir orgulho é preciso estar vivo

Edição especial do Maré de Notícias busca destacar resistência e luta diária que coletivos e indivíduos LGBTQIA+ constroem há décadas na Maré e nas outras periferias | Foto: Matheus Affonso

Editorial: Para sentir orgulho é preciso estar vivo

Versão impressa do Maré de Notícias do mês de junho é edição especial voltada às reflexões do Orgulho LGBTQIA+

Para ter orgulho é preciso estar viva, vivo, vive. Para viver em sociedade é preciso respeitar. A edição especial do Maré de Notícias do Mês do Orgulho LGBTQIA+ busca externalizar a resistência e luta diária que coletivos e indivíduos constroem há décadas na Maré e nas outras periferias do Rio de Janeiro. A versão impressa do jornal de junho é, ao mesmo tempo, igual e diferente das anteriores. Igual porque estamos, mais uma vez, contando histórias de gente que ama, abraça, trabalha, estuda e circula pelos becos, ruas e vielas das 16 favelas que compõem o bairro. Diferente porque, infelizmente, vivemos no país que mais mata LGBTQIA+ do mundo e ainda é extraordinário colocar essas vivências no centro do debate.

Queremos destacar narrativas de pessoas marcadas pelas violações sofridas diariamente, desde o ambiente familiar até a rua. Mas ao convidá-las para escrever com a gente – temos diversos repórteres convidados na edição -, a ideia é permitir que cada um fale por si e não somente retrate as suas cicatrizes. Não há espetacularização, há partilha. Não estamos abordando o exótico, pelo contrário. Nosso tema é o cotidiano. E a cada momento da vida de quem escreve ou de quem lê, o mais importante é a liberdade de existir e ser.

Assim como as outras, esta edição trata de corpos que costuram cultura, cidadania, lutam pelo direito à cidade e à plena cidadania. Corpos diversos. Potentes. Dignos. E não somente em junho. Somos aliados na luta por direitos durante o ano inteiro. E ser aliado não é somente destacar as cores do arco-íris uma vez ao ano, e sim acompanhar as pautas, cobrar políticas públicas e denunciar sempre que necessário as mais diversas formas de discriminação presentes na sociedade. Prestigie-nos com a sua leitura se já recebeu em casa ou acesse a versão digital aqui.

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionar Ctrl + Enter.

Tamyres Matos

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Nossos editores são notificados.