Festival WOW Rio 2020 será on-line para debater desafios e conquistas das mulheres em tempos de pandemia

Evento acontecerá com 12h ininterruptas de programação

Conceição Evaristo, Eliane Brum, Taís Araújo, Juma Xipaia e Tainá de Paula, entre outras pensadoras e ativistas da atualidade, são presenças confirmadas no Festival WOW Rio, que acontece neste sábado (21/12) de forma on-line.  

Por Daniele Moura, em 19/11/2020, às 14h45
Editado por Andressa Cabral Botelho

Desigualdades de gênero e raça escancaradas pela pandemia, violências, identidade, ancestralidade, compartilhamento de saberes, representatividade na política, ocupação de espaços públicos e privados, redes de cuidado, acesso à cultura e à tecnologia, questões ambientais, liderança feminina. Diferentes temas e vozes por um único objetivo: pautar e discutir o protagonismo feminino no mundo atual, com seus desafios e contradições, mas também celebrando avanços e conquistas das últimas décadas. 

Serão 12 horas ininterruptas de uma programação diversa no Youtube do Festival, com discussões, debates e abordagens profundas mas com espaço para música, intervenções artísticas e oficinas. Confira a programação aqui.

O Festival Mulheres do Mundo é inspirado no WOW – Women of the World Festival, um movimento global lançado pela produtora britânica Jude Kelly em 2010, diretora artística do Southbank Centre, um dos maiores centros culturais na Europa, no centenário do Dia Internacional da Mulher, em Londres. Realizado pela primeira vez em 2010, O WOW já esteve em 23 países da Europa, Ásia e África, além várias cidades na Inglaterra. 

Em 2016, Jude Kelly visitou a Casa das Mulheres da Maré, um espaço dedicado a estimular o protagonismo político de meninas e mulheres, onde são realizadas atividades de qualificação profissional, atendimento sócio-jurídico e psicológico gratuitos, além de fomento ao ativismo e engajamento nas lutas feministas. A partir daí, a Redes da Maré teve como  desafio o convite de realizar o Festival no Brasil pela primeira vez. 

Sucesso de público e com participação de centenas de ativistas e pensadoras feministas, o Festival Mulheres do Mundo – WOW Rio chegou à América Latina em 2018, em um grande evento na Praça Mauá, no Rio de Janeiro. Com curadoria do Southbank Centre e Redes da Maré, o evento reuniu mais de 95 mil pessoas em três dias nos espaços do Museu do Amanhã, Museu de Arte do Rio e Armazém 1 do Píer Mauá, numa programação diversificada em torno das questões das mulheres. Foram cerca de 250 convidadas de todas as partes do mundo, 200 empreendedoras, 30 coletivos que participaram da primeira versão brasileira do festival.

Para compreender melhor o contexto e a relevância da atuação política das mulheres no Rio de Janeiro, o Festival Mulheres do Mundo fez um levantamento de mulheres líderes  e de instituições e organizações voltadas ao público feminino na cidade. O mapeamento, o primeiro do gênero no Rio,  identificou 204 líderes locais e 235 organizações até agora, pois está em constante atualização (clique aqui se quiser cadastrar alguma iniciativa). O documento completo está disponível aqui.

Em 2019, o Festival Mulheres do Mundo realizou o Esquenta WOW, uma série de cinco encontros em diferentes territórios da região metropolitana do Rio de Janeiro — Complexo da Maré, Centro, Duque de Caxias, Niterói e Santa Cruz — e teve seu encerramento em Fortaleza.

Em 2020, aconteceria o Festival nas configurações do primeiro, num formato de um grande evento presencial, mas a pandemia não deixou. “Muito cedo, nós percebemos que o impacto da pandemia seria diferente para as mulheres, que seriam brutalmente mais penalizadas. Para nós, é muito evidente que, mesmo sem podermos contar com a presença física dos festivais e o sentimento de união que esses momentos proporcionam, criar um espaço de troca e entendimento virtual para meninas e mulheres, que aponte as urgências sociais, raciais e econômicas, mas também celebre a resiliência e as conquistas das mulheres no mundo, é fundamental. E o Brasil e Rio de Janeiro são peça chave nessa configuração”, diz Jude Kelly, hoje presidente da Fundação WOW.

Sendo assim, a organização brasileira do festival, produziu no último dia 11 de outubro, Dia Internacional das Meninas, declarado pelas Nações Unidas, a primeira edição do WOW Meninas no Brasil, que contou com  programação especial, onde meninas líderes debateram temas como racismo, pandemia e educação.

E a edição de 2020 do Festival Mulheres do Mundo -WOW Rio acontecerá, de forma on-line, neste sábado, 21, a partir das 9h, pelo canal do YouTube e Facebook do WOW Rio com shows de Linn da Quebrada e Josyara, performance de MC Martina e exibição de curtas metragens, debates e mesas temáticas que completam as 12 horas ininterruptas de programação. Tudo de graça.

Para Eliana Silva, diretora da Redes da Maré e curadora do festival no Brasil, é importante manter a agenda .“Optamos por fazer duas atividades este ano, o WOW Meninas e agora esta edição de 12 horas do festival on-line, para deixar viva a pauta em torno da vida das mulheres, de sua condição do mundo contemporâneo, exaltando suas produções e conquistas,” afirma a primeira mulher a presidir uma associação de moradores no conjunto de favelas da Maré. Eliana participará da mesa de abertura às 9h com Jude Kelly e em seguida estará num papo com Taís Araújo.

A vereadora recém eleita pelo Rio, Tainá de Paula, estará presente na mesa sobre Política Cotidiana e Institucional e o Direito à Cidade. Para ela, o Festival é uma potência na discussão sobre o futuro das mulheres. “O evento é uma oportunidade da gente saber como criar conexão entre mulheres no campo da política,  da cultura, da sociedade de um modo geral, criando estratégias para derrubar o patriarcado. Tantas mulheres de trajetórias tão distintas para estabelecer uma sociedade comum onde todas tenham seus espaços”, afirma a urbanista que estará no debate que começa às 15h, com Thais Ferreira, Benny Briolly e  mediação de Tatiana Roque.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui