Pedido de reaplicação de provas do Enem está aberto

Cadu Rolim / Agência O Globo

Pedido de reaplicação de provas do Enem está aberto

Estudantes podem abrir processo em site do exame

Por Edu Carvalho, em 25/01/2021 às 17h

Editado por Andressa Cabral Botelho

Está aberto o período para solicitação de reaplicação de provas do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, de 2020 – feito nos dias 17 e 24 de fevereiro. O prazo final para envio do pedido vai até 29 de janeiro, sexta-feira. A nova prova está marcada para os dias 23 e 24 de fevereiro. Poderão ter uma nova chance os estudantes que tiveram covid-19 ou outras doenças infectocontagiosas. Para abertura do processo, é necessário acessar a Página do Participante no site do exame e incluir identidade e um documento legível que comprove a doença. 

Na documentação deve constar o nome completo do participante, o diagnóstico com a descrição da condição, o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10), além da assinatura e da identificação do profissional competente, com o respectivo registro no CRM (Conselho Regional de Medicina), do Ministério da Saúde (RMS) ou de órgão competente, assim como a data do atendimento. 

Têm direito a pedir a reaplicação aqueles que se sentiram prejudicados por “incidentes logísticos”, como define o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o INEP, órgão responsável pela prova. Os casos serão julgados individualmente. 

Das ocasiões, previamente listadas, estão: desastres naturais (que prejudiquem a aplicação devido ao comprometimento da infraestrutura do local), falta de energia elétrica (que comprometa a visibilidade da prova pela ausência de luz natural), falha no dispositivo eletrônico fornecido ao inscrito que solicitou uso de leitor de tela, erro de execução de procedimento de aplicação pelo aplicador, que tenha, comprovadamente, causado prejuízo ao participante, entre outros casos. 

Também se enquadram nesse os inscritos que se apresentaram para realizar a prova e foram barrados de entrar depois que as classes alcançaram capacidade máxima de 50%. 

Neste segundo dia de provas, o índice de abstenção subiu, atingindo a marca de 55,3% do total de candidatos confirmados esperados para esta edição. Este é o maior índice de toda a história do exame. Antes, o recorde havia sido registrado em 2009. 

Edu Carvalho

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *