Polícia Militar invade casa de moradores no Santa Marta

Data:

Policiais da UPP estavam em patrulhamento na Ladeira dos Guararapes, na comunidade Cerro Corá

Por Edu Carvalho, em 11/01/2021 às 13h

Na manhã desta segunda-feira, 11, o repórter fotográfico Tandy Firmino, morador do Santa Marta, gravou um vídeo relatando a invasão da sua casa por policiais militares. Segundo ele, a PMERJ realizou uma operação na comunidade e entrou em diversas casas.

Confira o relato de Tandy Firmino, morador do Santa Marta

“A realidade do morador de favela é essa. Minha filha acordada, chorando. Fui abordado agora pela manhã, dentro de casa’’, conta. ‘’A realidade do morador de favela é essa. 

Preto, pobre e favelado. E o que acontece? Tá aqui, minha porta arrebentada. Quem vai pagar o prejuízo? O Estado vai fazer isso? Além do susto, isso é muito esculacho.

Eu trabalho tranquilamente, estou de férias, e ainda sai como errado, como se não tivesse escutado”, completa o fotógrafo, mostrando como ficou o estrago na porta.

“Infelizmente é a rotina. A gente não tem nenhum tipo de direito morando em favela, e ainda me colocam como errado por não ter escutado. Estava em casa, dormindo, de férias. E ainda perguntam o quê eu faço. Precisamos ter direito, não precisa ser dessa forma’’, termina o vídeo. 

Em nota, a PMERJ informou que na manhã desta segunda-feira (11/01), policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Santa Marta estavam em patrulhamento na Ladeira dos Guararapes, na comunidade Cerro Corá, quando foram atacados por disparos de arma de fogo. Houve reação. Após cessarem os disparos, uma granada foi localizada e apreendida. Até o momento, não há relatos de prisões ou de possíveis feridos. A ocorrência foi encaminhada para a 9ª DP. Além disso, também disse que esta prática (invasão) não é prevista nos protocolos da Corporação.

A Corregedoria Geral da Corporação disponibiliza canais para o recebimento de denúncias. O anonimato do denunciante é garantido. O contato pode ser feito por telefone pelo número (21) 2725-9098 ou ainda pelo e-mail [email protected].

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Sementes de Marielle; confira segunda parte da entrevista com Mãe da vereadora

Nessa segunda parte da entrevista, Marinete fala sobre as sementes deixadas por Marielle, do protagonismo de mulheres negras em espaços de poder e a partir do contexto do assassinato da vereadora, como acreditar em justiça.

‘Não há uma política de reparação’, diz Mãe de Marielle sobre vítimas do estado

Além de criticar o Estado e o Judiciário, que, em diversas instâncias, colaboraram pela impunidade do crime, Marinete aproveitou para reforçar o sonho que a família tem: inaugurar, via Instituto, o Centro de Memória e Ancestralidade