#VacinaMaré – 2ª Dose: campanha de vacinação recomeça na Maré

“O projeto #VacinaMaré foi um sucesso já na primeira fase, superando as expectativas”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz (foto: Aline Câmera)

#VacinaMaré – 2ª Dose: campanha de vacinação recomeça na Maré

Representantes do programa de vacinação em massa participam de coletiva de imprensa e acompanham primeiro dia das ações

Por Edu Carvalho, com informações de Agência Fiocruz e Redes da Maré, em 14/10/2021 ás 16h35.

No primeiro dia para a segunda fase da vacinação em massa na Maré, o #VacinaMaré, que começou nesta quinta-feira, dia 14, e vai até o próximo sábado (16), representantes da iniciativa articuladora estiveram no território para uma coletiva de imprensa. Eles acompanharam toda a movimentação da ação que busca imunizar a maior quantidade de moradores a partir de 18 anos nas 16 favelas que compõem a Maré. A primeira dose também será dada aos adolescentes acima de 12 anos (apenas nas unidades de saúde).

A abertura do evento contou com a participação do secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz; a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima; o assessor de Relações Institucionais da Fiocruz, Valcler Rangel; o pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz, Fernando Bozza; e a coordenadora da Redes da Maré, Luna Arouca. Também participaram do evento o secretário municipal de Educação Renan Ferreirinha e a deputada estadual Renata Souza (PSOL).

“O projeto #VacinaMaré foi um sucesso já na primeira fase, superando as expectativas. Agora vamos acelerar o processo com a aplicação da segunda dose, possibilitando já avaliar alguns resultados da vacinação em massa na proteção da comunidade local, incluindo as crianças”, ressaltou Soranz.

Desta vez, clínicas da família e associações de moradores são os pontos de vacinação, abertos sempre das 8h às 17h nos três dias, prioritariamente na população entre 18 e 33 anos. Para os moradores acima de 18 anos que ainda não se vacinaram com a primeira ou segunda dose estão aptos a se vacinar nos dias da campanha, assim como adolescentes a partir de 12 anos que ainda não tomaram a primeira dose.

Mobilizadores da ação #VacinaMaré. Foto: Matheus Affonso

Para a segunda fase da campanha, os postos de vacinação contarão com apresentações culturais e intervenções de artistas locais. Nas primeiras horas do dia, quem abriu os trabalhos com muita música na Clínica da Família Adib Jatene foi o grupo coletivo Panderolando Maré, ao som de atabaques e alfaias, além da Orquestra do Amanhã. A programação também acontece nessa sexta (15) e no sábado (16), com divulgação nas redes sociais da ONG Redes da Maré.

Integrantes do coletivo Panderolando, durante apresentação na abertura do evento. Foto: Matheus Affonso

“Vamos celebrar, tomando o cuidado de não formar aglomerações, com pequenas intervenções artísticas. Mas temos resultados a comemorar, depois de tantos desafios causados pela pandemia e agravados pelos problemas históricos do território: a taxa de letalidade na Maré é menor do que a do município e conseguimos, com um projeto pioneiro, dar um tratamento adequado e com base científica para os moradores da favela”, avalia Eliana Silva, diretora da Redes da Maré.

Luna Arouca, coordenadora da ONG Redes da Maré e do Projeto #Vacina Maré, representou a diretora Eliana na abertura do evento. “Depois de um ano e meio de perdas, é uma alegria estarmos reunidos aqui para esse projeto”, afirmou, “É um momento de celebração e cuidado, ainda temos que seguir com as precauções, mas também podemos aproveitar esse momento juntos”.

Músicos da Orquestra do Amanhã também estiveram presentes no pontapé inicial da campanha. Foto: Matheus Affonso

Aline Aquino, 38 anos, é Técnica de Enfermagem desde 2008. Para ela, participar da mobilização na Maré traz um orgulho ainda maior, e mexe com a autoestima do morador. “Nós que estamos nessa área (Saúde) podemos ver que é muito sofrido para alguns moradores notar as diferenças no status de vida para uns e para outros. Fazer parte de algo que muda isso é muito importante”. Aline esteve alocada na Associação de Moradores do Parque União.

“Essa campanha é importante para conscientizar as pessoas de como todos devem se vacinar, protegendo uns aos outros” arremata didaticamente Helena Edir, 71 anos, uma das diretoras da Redes da Maré. Essa é a primeira vez como voluntária da ação, que aproveitou a terceira dose para, enfim, se unir ao grupo de articuladores que tem levado esperança no território através da vacina.

Registro feito durante pesquisa que ocorre sobre a vacinação na Maré. Foto: Matheus Affonso

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionar Ctrl + Enter.

Edu Carvalho

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Nossos editores são notificados.