Vai Na Fé: Artista mareense é parte do elenco da nova novela da Globo

Data:

Por Lucas Feitoza

“Vai na fé” é a nova novela das sete da TV Globo, que estreia no próximo dia 16 de janeiro. A trama escrita por Rosane Svartman terá participação de Anderson Oli, 28 anos e ator há oito. Ele viverá o personagem Vitinho, em sua versão jovem, aparecendo em flashbacks, nas lembranças da sua versão adulta, vivida pelo ator e comediante Luis Lobianco. 

A novela relembra os bailes funk que revelaram nomes de peso como Tati Quebra Barraco, Valesca Popozuda e tendências que marcaram épocas como o passinho. Vitinho (Anderson Oli / Luis Lobianco)  formava um trio com Sol (Jê Soares / Sheron Menezes) e Bruna (Dhara Lopes/ Carla Cristina Cardoso), e juntos frequentavam a Furacão 2000, famosa e tradicional equipe de bailes dos subúrbios cariocas. Anderson contou para o Maré de Notícias que o seu personagem é parecido com ele; ambos gostam de dançar, e porque são envolvidos com a arte. O ator mostra entusiasmo em ver mais uma novela com protagonismo negro e com diversidade mostrando a cara do Brasil.

 “Para mim está sendo uma grande alegria ver o meu corpo naquele lugar, um corpo negro, nordestino e gordo, esses corpos sempre existiram e precisam também estar em evidência” afirma. O ator é natural de João Pessoa, capital paraibana, mora no Morro do Timbau, no Conjunto de Favelas da Maré e faz parte do grupo de teatro Cia Cria do Beco. No ano passado interpretou o jovem Wallace na peça Nem Todo Filho Vinga e foi em uma das apresentações que recebeu o convite para fazer o teste para a novela. 

Anderson elogia a produção, que montou um baile para as gravações e diz estar feliz em fazer parte de um trabalho que revive uma época feliz para muitas pessoas que agora terão como relembrar pela televisão “Eu acho que quando eu assistir e ver a gente lá dançando nos bailes funks, na Furacão 2000, vai ser muito emocionante, foi um momento muito lindo para minha vida” afirma.

Do teatro para a telinha

Anderson é estudante de letras e literatura na Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ, sempre muito interessado na arte e na forma como ela se conecta com a literatura. Iniciou sua carreira artística  em projetos sociais de teatro no Museu da Maré e seu primeiro contato com a arte foi através da técnica Teatro do Oprimido do teatrólogo brasilleiro Augusto Boal. Essa técnica envolve exercícios e jogos teatrais, que fazem tanto os artistas quanto o público se conectarem com as questões sociais e questões como machismo, racismo e sexismo. 

O artista diz estar realizando um sonho, que é viver da arte; e conta que esse é outro ponto em comum com a novela, a família de Sol é uma família negra e sonhadora. Para Anderson, o nome “Vai na Fé” tem tudo a ver com a sua história e com seu trabalho, ele explica que para atuar é preciso acreditar no que está fazendo para que possa dar certo, e é isso que ele faz; “ Em tudo que eu faço também na minha vida  tenho que acreditar, se eu acredito eu posso estar lá, quando eu não acredito é mais difícil porque eu não crio possibilidades e eu preciso criar e acreditar para se tornar real”, diz ele.

Com a participação na novela Anderson considera que pode aprender muito e deixa uma mensagem para os artistas da Maré; “vai na fé mesmo, é uma oportunidade que a gente precisa e temos que dar o nosso máximo, a gente aprende fazendo, foi uma experiência incrível” concluiu. 

Para ver Anderson Oli, basta assistir a nova novela da Globo que estreia dia 16, substituindo Cara e Coragem. O artista também está no Instagram como @oandersonoli

Foto: Matheus Affonso

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

EDI na Maré se destaca por acolhimento na primeira infância

O Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) Profª Kelita Faria de Paula, localizado no Conjunto Bento Ribeiro Dantas se tornou uma referência ao falarmos de “lugar de escuta”

Clube de Futebol faz ‘vakinha’ para disputar torneio em São Paulo

No ano passado, com ajuda dos pais dos atletas, o clube disputou a Taça São Paulo na categoria sub 15, este ano o pensamento do clube é participar também na categorias sub 17