Alcione se apresenta no terceiro dia do Festival WOW, confira a programação do evento

Data:

O terceiro dia do evento debate também comunicação com jornalistas e conversa sobre justiça com a diretora da Anistia Internacional Brasil

Você ainda não foi para o Festival WOW? Pois corre, que este domingo (29) é o último dia para aproveitar esse grande encontro de potências femininas! E tem programação para toda a família. Além de atividades inéditas, marcar presença no festival garante a apreciação da bela vista do Museu do Amanhã, comprinhas na Feira Delas, e um show gratuito da Alcione, que encerra os três dias do festival.

Marrom se apresenta no palco montado na Praça Mauá no fim da noite. Também sobem ao palco a cantora Kaê Guajajara, Dj Tammy e Larissa Luz. Mas antes do show, na programação do dia tem muita coisa boa prevista.

Confira a programação completa do terceiro dia do WOW Festival.

A partir das 9h já dá para chegar na Praça Mauá e participar de um treino com a jornalista Carol Barcellos com as Destemidas. Destemidas é um projeto da organização Luta Pela Paz, voltado para meninas e jovens das 16 favelas da Maré.

Para a criançada, nos Pilotis do Museu de Arte do Rio (MAR), às 12h30, tem a contação de “História Odara Itan” com o Coletivo de Artistas Negres Kekere Infâncias. É no MAR que acontece também a conversa “Experiências de famílias inter-raciais” às 14h.

Leia mais:

Festival WOW: Brasil é o quarto país com maior número de casamento infantil no mundo

WOW traz discussão sobre as mulheres no audiovisual

Festival WOW traz debates sobre violência pelo olhar feminino

O MAR também será o ponto do “Encontro de Mães” com representantes de coletivos de mães que lutam pelos direitos dos seus filhos, uma troca de experiências sobre estratégias para conseguir visibilidade para as suas causas. Em seguida, às 16h, tem um encontro com as jornalistas dedicadas à defesa da democracia, com mediação de Daiene Mendes. No evento também acontecem conversas sobre justiça reprodutiva e diversas apresentações culturais.

No observatório do Museu do Amanhã, às 10h30, Jurema Werneck, fundadora da ONG Criola e diretora da Anistia Internacional Brasil, participa de uma roda de conversa com Ana Maria Cruz, professora e mãe de Pedro Henrique Santos Cruz assassinado por policiais na cidade de Tucano(BA) em 2008. Homem negro e ativista pelos Direitos Humanos, Pedro teve sua casa invadida por policiais, enquanto dormia
com sua namorada. A mediação é de Jéssica Pires, coordenadora do Maré de Notícias.

Mesas do auditório tem transmissão na Canal Futura

Algumas mesas do auditório estão sendo transmitidas no Youtube do Canal Futura. São três mesas por dia confira as transmissões de hoje:

Dia 29/10/2023 

Saúde, Território e Gênero: repertórios a partir da pandemia – Das 14h às 15h30 

Débora Silva – Gestora da ONG Sim! Eu Sou Do Meio 

Gláucia Marinho – Coordenadora da ONG Justiça Global 

Rosana Beatriz – Coordenadora da Associação Cultural Lanchonete Lanchonete 

Pamella Liz – Cientista Social e Sanitarista 

Mediação: Pâmela Carvalho – Educadora e Coordenadora da Redes da Maré 

Gênero e Justiça Ambiental – das 16h às 17h30 

Cristiane Faustino – Ambientalista e Presidente da ONG Justiça Global 

Eliana Karajá – Presidente da Associação Indígena do Vale Araguaia 

Marina Marçal – Advogada e Pesquisadora em Política Climática 

Selma Dealdina – Assistente Social e Secretária da Conaq 

Mediação: Kamila Camilo – Ativista Ambiental e Empreendedora do Instituto Oyá 

Histórias do Amor e do Amar – das 18h às 20h 

Amara Moira – Escritora e Doutora em Literatura pela Unicamp 

Aza Njeri – Professora Doutora em Literaturas Africanas 

Josephine Apraku (Alemanha) – Professore de Estudos Africanos 

Obirin Odara – Mestra Em Políticas Sociais e Diretora do Studio Krya 

Mediação: Camila Marins – Jornalista e Editora da Revista Brejeiras.

O Maré de Notícias está acompanhando o Festival WOW e você fica por dentro de tudo por aqui e também nas redes sociais.

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Sementes de Marielle; confira segunda parte da entrevista com Mãe da vereadora

Nessa segunda parte da entrevista, Marinete fala sobre as sementes deixadas por Marielle, do protagonismo de mulheres negras em espaços de poder e a partir do contexto do assassinato da vereadora, como acreditar em justiça.

‘Não há uma política de reparação’, diz Mãe de Marielle sobre vítimas do estado

Além de criticar o Estado e o Judiciário, que, em diversas instâncias, colaboraram pela impunidade do crime, Marinete aproveitou para reforçar o sonho que a família tem: inaugurar, via Instituto, o Centro de Memória e Ancestralidade