Anvisa interrompe estudos da vacina Coronavac

Data:

Vacina estava na terceira e última fase de testes em humanos e teve suspensão de seus estudos na noite desta segunda-feira

Por Edu Carvalho, em 09/11/2020, às 23h. Atualizada em 10/11/2020 às 17h15

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu temporariamente os testes em humanos da vacina chinesa Coronavac. O motivo seria um “evento adverso grave”, anunciado na noite desta segunda-feira (09). O órgão acabou não informando a causa específica da suspensão. Cabe lembrar que essa é uma das candidatas à vacina contra o coronavírus, sendo desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan (São Paulo). 

Esta suspensão ocorre justamente na data que o governo de São Paulo anunciou que as primeiras 120 mil doses da Coronavac chegariam no dia 20 de novembro. Segundo o governador João Dória, são esperadas até o dia 30 de dezembro um total de seis milhões de doses do imunizante contra o novo coronavírus. 

Em coletiva de imprensa já na tarde desta terça-feira (10), o diretor-presidente da Agência Anvisa, Antonio Barra Torres, disse que a decisão de suspender os testes da Coronavac foi “técnica” e baseada no fato de as informações sobre o evento serem “insuficientes” e “incompletas”

Essa não é a primeira vacina experimental a passar por interrupções dos estudos. Outras duas tiveram seus ensaios clínicos interrompidos por conta de eventos adversos graves. A desenvolvida pela Universidade de Oxford com a farmacêutica AstraZeneca e a Fiocruz teve seus testes freados depois que uma voluntária apresentou sintomas de uma doença neurológica. A vacina da Johnson&Johnson também interrompeu os testes depois de uma “doença inexplicada” em um dos participantes.


Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

8ª Edição do Fórum Sobre Drogas na Maré começa nesta segunda-feira

O encontro, criado em 2016, surgiu com o intuito de fortalecer a rede de cuidado e saúde para o atendimento da população em situação de rua e pessoas que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas

Ativista e jornalista da Maré no G20

Do Conjunto de Favelas da Maré à conferência da 19a reunião de cúpula do G20, a trajetória de Kaya Bee, moradora da Nova Holanda é um exemplo inspirador na luta por um futuro mais justo e sustentável. Aos 27 anos, mãe, ativista climática e estudante de jornalismo, ela carrega a força e a resiliência de quem enfrenta os desafios da vida na favela com a determinação de transformar a realidade para os mareenses.