Artista multilinguagem lança exposição virtual sobre a Maré

Data:

Matheus Affonso é fotógrafo, videomaker e comunicador do Maré de Notícias 

Por Jéssica Pires, em 08/09/2022 às 11h56

“A Maré e o Mar. O meu lugar, o mar é. Mar de gente, mar na cidade. Minha Maré é troca constante; fluxo entre os meus e os outros. Abraçar a favela, com braços, pernas, o ser inteiro…” É dessa forma que “Maresias – O Movimento da Maré”, exposição virtual de Matheus Affonso, é apresentada no texto curatorial da seleção de fotos. A exposição que está disponível aqui reúne 10 fotos diversas do artista sobre paisagens, expressões e pessoas da Maré.

O Movimento da Maré

“Maresias nasce do movimento da maré, do que move as ruas, becos e vielas das 16 favelas da Maré, nasce do desejo pulsante de retratar o cotidiano em suas diversidades e singularidades do dia a dia de um favelado”, comenta o fotógrafo. Para Matheus, a exposição online rompe barreiras que as galerias presenciais impõem para a classe artística carioca, mesmo com uma cena cultural favelada pulsante: “é muito difícil acessar espaços presenciais de galerias e espaços de artes, mesmo espaços que estão dentro de favelas e periferias”, destaca. 

As fotos de “Maresias” pautam desde o fotojornalismo até a fotoperformance com cortes, planos, e histórias de uma Maré em movimento. Histórias como a do Sr Paulinho que há 42 anos é sapateiro, a do Sr Artur que há 45 anos trabalha na colônia de pescadores do Parque união e ou da própria avó do fotógrafo, Maria Luiza, que chega aos seus 92 anos, desses 56 anos vivendo na Maré “chegando em uma territorio que ainda era água e vendo todos os movimentos que a Maré fez para se tornar hoje um bairro maior que 96% dos municípios do Brasil”, destaca o artista.

Sobre o artista

Matheus Affonso (25) é mareense, nascido e criado na Nova Holanda, ativista LGBTQI+, técnico em Comunicação visual pelo SENAI-Maracanã, estudante de Design Gráfico pela Estácio, e estudante de Fotografia pela Escola de Fotografia Popular do Imagens do Povo. Já atuou como professor de Designer Gráfico e Fotografia do Instituto Vida Real, é cofundador e integrante do Grupo Atiro, FAVELAMONA, Projeto Eeer, Entidade Maré e do Grupo Pantera de Teatro do Oprimido. Há 4 anos Matheus também é fotógrafo, comunicador e produtor de audiovisual do Maré de Notícias. 

“A fotografia representa para mim um espaço de resgate de narrativas e memórias, um lugar onde construo a minha arte, a partir do meu território, o lugar onde me afirmo quanto um fotografo LGBTQIA+ que pauta não só esses corpos, mas outras narrativas que me atravessam e me fazem mergulhar nas memórias da Maré quanto um favelado que pulsa arte e respira resistência”. Para o artista a fotografia é o principal meio de se comunicar artisticamente e de se colocar quanto pessoa pensante de novos caminhos para políticas públicas e a construção de narrativas que pautem a favela a partir de quem vive nela.

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

This is Maré: videoclipe do Dance Maré retrata as diferentes vivências de moradores

Completando 10 dias hoje desde a publicação, o vídeo conta quase 30 mil curtidas. O que ninguém imagina é que a ideia desse clipe é bem mais antiga do que o famoso clipe de Waka Waka, lançado em 2022.