Brasil, México e Filipinas estão entre os países que receberão vacina da Pfizer no segundo trimestre

Data:

Distribuição será feita pelo consórcio mundial Covax Facility

Por Reuters, em 13/04/2021 às 11h

Cerca de 14,1 milhões de doses da vacina Pfizer BioNTech COVID-19 serão distribuídas em 47 países e economias para entrega no segundo trimestre deste ano, disse a Gavi Vaccine Alliance ontem, segunda-feira (12/4).

Brasil, Colômbia, México, Filipinas, África do Sul e Ucrânia devem estar entre os principais receptores da vacina Pfizer entre abril e junho, de acordo com Gavi, que co-lidera as instalações da COVAX com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e outros parceiros.

O programa COVAX oferece uma tábua de salvação para países de baixa renda em particular, permitindo-lhes inocular trabalhadores de saúde e outros em alto risco, mesmo que seus governos não tenham conseguido garantir vacinas dos fabricantes.

Austrália, Grã-Bretanha, Kuwait e Emirados Árabes Unidos devem receber suas primeiras injeções via COVAX com as doses da Pfizer, “com base no conhecimento atual da disponibilidade de fornecimento da vacina COVID-19”, disse Gavi em um comunicado.

O programa distribuiu quase 38,4 milhões de doses de vacinas COVID-19 para 102 países em seis continentes, seis semanas após o início da distribuição de suprimentos, disse Gavi na quinta-feira passada.

As entregas da vacina AstraZeneca para 142 participantes em uma rodada anunciada anteriormente estavam em andamento, “com alguns atrasos” que podem estender as entregas em maio passado, disse Gavi na segunda-feira.

A disponibilidade reduzida atrasou algumas entregas em março e abril, e grande parte da produção do Serum Institute of India, que fabrica a vacina AstraZeneca, está sendo mantida na Índia, onde o número de infecções diárias está aumentando.

O presidente-executivo da Gavi, Seth Berkley, disse na última sexta-feira que a COVAX pretendia entregar um terço de um bilhão de doses de COVID-19 até meados do ano, a caminho de mais de 2 bilhões em 2021.

Reportagem de Stephanie Nebehay; Edição de Raissa Kasolowsky

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Sementes de Marielle; confira segunda parte da entrevista com Mãe da vereadora

Nessa segunda parte da entrevista, Marinete fala sobre as sementes deixadas por Marielle, do protagonismo de mulheres negras em espaços de poder e a partir do contexto do assassinato da vereadora, como acreditar em justiça.

‘Não há uma política de reparação’, diz Mãe de Marielle sobre vítimas do estado

Além de criticar o Estado e o Judiciário, que, em diversas instâncias, colaboraram pela impunidade do crime, Marinete aproveitou para reforçar o sonho que a família tem: inaugurar, via Instituto, o Centro de Memória e Ancestralidade