Começa no Rio a 1ª edição do WOW na América Latina

Data:

Festival Mulheres do Mundo reúne representantes de todas as parte do globo para trocas de experiências, ideias, debates e muito mais

Em 16/11/18 – Por Eliane Salles

Às 10h da manhã, desta sexta-feira, 16, foi iniciado um evento inédito no Rio de Janeiro e na América Latina: WOW – Festival de Mulheres do Mundo. A mesa “Boas-vindas ao Wow”, que abriu o evento, foi composta por Jude Kelly, idealizadora do movimento WOW e ex-diretora artística do Southbank Centre (um dos maiores centros culturais da Europa) e Eliana Sousa Lima, fundadora da Redes da Maré – entidade curadora da edição carioca do festival. O movimento WOW foi criado em 2010 e já esteve presente em 23 países do mundo.

Durante a manhã, foram realizados nove Diálogos (conversas entre ativistas, intelectuais, representantes de territórios periféricos, entre outras). “O ser humano que nós, mulheres, pensamos e queremos e a educação que precisamos para isso”, “O poder/lugar de fala contra o silenciamento das vozes das mulheres” e “A conversa aqui é eles com elas pela igualdade de gênero” foram alguns deles.

Também foram realizadas sete oficinas, entre elas “Mulheres e Escrevivência”, e duas performances. Também foram abertas as exposições “Arte Democracia Utopia – Quem não luta tá morto” e “O Rio de Samba: resistência e reinvenção”. As atividades acontecem até domingo, 19, no Museu do Amanhã, Museu de Arte do Rio (Mar), Praça Mauá e Armazem 1. À tarde tem muito mais. Não perca.

[vc_media_grid grid_id=”vc_gid:1542388590355-6d9b677b-d3a9-6″ include=”38969,38968,38967,38966,38965,38964″]

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

8ª Edição do Fórum Sobre Drogas na Maré começa nesta segunda-feira

O encontro, criado em 2016, surgiu com o intuito de fortalecer a rede de cuidado e saúde para o atendimento da população em situação de rua e pessoas que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas

Ativista e jornalista da Maré no G20

Do Conjunto de Favelas da Maré à conferência da 19a reunião de cúpula do G20, a trajetória de Kaya Bee, moradora da Nova Holanda é um exemplo inspirador na luta por um futuro mais justo e sustentável. Aos 27 anos, mãe, ativista climática e estudante de jornalismo, ela carrega a força e a resiliência de quem enfrenta os desafios da vida na favela com a determinação de transformar a realidade para os mareenses.