Jovens negros e de favelas na COP28

Data:

Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2023 (COP28) acontece em Dubai até 12 de dezembro

A Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2023 (COP 28), que é realizada anualmente, começou no dia 30 de novembro e vai até 12 de dezembro em Dubai.

É fundamental, porém, envolver aqueles e aquelas que sofrem diretamente com os impactos dos desequilíbrios climáticos. Para isso jovens de favelas do Rio de Janeiro se mobilizaram para participar dessa edição da COP28, marcando presença em painéis estratégicos, criando incidência e estratégias para atuação nos territórios. Kamila Camillo, fotógrafa popular, ativista social e comunicadora, moradora da Maré; Raull Santiago, ativista social do CPX do Alemão e confundador do Coletivo Papo Reto; Thuane Nascimento, diretora executiva do PerifaConnection e Gabriela Santos, geógrafa, ativista social do CPX do Alemão e co-fundadora e diretora do Voz das Comunidades, são alguns desses nomes.

“Nós pessoas de periferia, do Sul Global, do Brasil, mulheres, pessoas negras, somos as pessoas que mais sofremos com as mudanças climáticas. E também as que temos as melhores tecnologias sociais para lutar contra a crise ambiental, por isso temos que estar nesses espaços. Na COP acompanhamos as negociações, os espaços de participação social, fazemos falas, conectando com uma rede de parlamentares, líderes, executivos. Então nossa participação é muito especial para que esse espaço reflita a realidade das pessoas que tem que opinar sobre o que ta acontecendo no mundo”, declarou Thuane nas redes sociais do Perifa e do CreatorsAcademy Brasil, canal que estabelece conexões entre criadores de conteúdo e os diversos biomas encontrados no Brasil.

Sobre a COP e a participação do Brasil na conferência:

De acordo com o que vem sendo divulgado por especialistas o objetivo central da conferência deste ano é a elaboração e compromisso entre os países de que ações concretas ocorram, em comparação com a COP 27, quando muitas negociações ficaram ainda no papel.

O Brasil é indispensável nas discussões sobre o clima devido a importância da Floresta Amazônica e também pelas iniciativas que contribuem para a redução das emissões de gases causadores do efeito estufa. Recentemente, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sugeriu uma posição conjunta dos países que compõem a Amazônia, na COP 28. De acordo com a Agência Brasil, a intenção é criar uma política unitária para mostrar a postura correta em defesa dos países que mantêm importantes áreas de florestas em pé na América do Sul. Além do Brasil, a floresta amazônica está presente em parte dos territórios da Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa. 

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Povo negro resiste frente às estruturas de discriminação racial 

Racismo institucional é alimentado pela falta de reconhecimento do racismo estrutural, pela sub-representação de pessoas negras em cargos de liderança e pelo apagamento da contribuição e identidade negra na história e na cultura

Evento leva atividades pós-carnavalescas gratuitas para Fiocruz

Amanhã, das 10 às 16h, atração musical, atividades externas, oficinas, exposições e teatro dão o tom do “Quero + Folia no Museu”, um evento que vai abrir as portas da FioCruz