Conheça os ganhadores das bolsas do #Colabora nessa Maré de Notícias

Projeto de capacitação premia jovens jornalistas para realização de reportagens sobre o impacto da covid-19 no conjunto de favelas

A desigualdade que maltrata os estudantes, pelo acesso precário à internet; o desemprego das mulheres negras; a saúde mental em tempos tão difíceis; como a Maré atravessou as crises de saúde anteriores; e o duro cotidiano dos trabalhadores informais diante da recessão. São os temas propostos pelos vencedores das cinco bolsas no projeto #Colabora nessa Maré de Notícias, para a produção de reportagens sobre a pandemia e seus impactos no conjunto de favelas do Rio. Os jovens jornalistas receberão orientação das equipes do #Colabora e do Portal Maré de Notícias, com a publicação nos sites e redes sociais dos dois veículos.

Moradores da Maré, os repórteres vão desenvolver reportagens com temáticas e linguagens próprias, identificadas com a comunidade, e, assim, conscientizar a população local sobre a covid-19. O objetivo é impactar, com o conteúdo, os moradores do complexo de favelas – aproximadamente 140 mil pessoas. Os jornalistas atuarão como multiplicadores do conhecimento na comunidade onde a pandemia não afeta apenas a saúde, mas também a economia doméstica de muitas famílias e de jovens em busca de oportunidades profissionais.

O #Colabora nessa Maré de Notícias tem financiamento do Fundo Enfrente, nova modalidade de fomento, que mistura o financiamento coletivo (ou crowd-funding) com aporte de parceiros, para multiplicar a arrecadação. O projeto foi selecionado pela plataforma Benfeitoria com apoio da Fundação Tide Setubal.

Conheça os vencedores (em ordem alfabética) e suas pautas:

  • Ana Clara Passos Alves e Jonatas Magno Campos da Silva. Como a Maré atravessou as crises anteriores de saúde.
  • Elaine de Moraes Lopes e Matheus Luiz Chagas da Silva. Os estudantes da Maré e suas dificuldades nas aulas remotas, devido ao precário acesso à internet nas comunidades.
  • Luiz Augusto de Souza. O baque da diminuição da atividade econômica na vida dos trabalhadores informais.
  • Myllenne Nascimento Furtado. O aumento significativo do desemprego entre mulheres negras. Segundo o Ipea elas têm 50% a mais de vulnerabilidade, quando comparadas às não negras. Na Maré, muitas precisam da ajuda de ONGs para se manter.
  • Thais Cavalcante. O impacto da pandemia na saúde mental dos moradores da Maré e as alternativas de atendimento neste período.

Os candidatos que não foram selecionados receberão a oferta de mentoria dos jornalistas do #Colabora e do Maré de Notícias para o início da carreira no jornalismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui