Evento reúne profissionais para um bate-papo sobre saúde

Soranz se despede como secretário de saúde e encontra profissionais na Maré. Foto: Hélio Euclides

Evento reúne profissionais para um bate-papo sobre saúde

Daniel Soranz deixa pasta municipal e se encontra com profissionais da saúde na Maré.

No início de abril, 11 secretários municipais foram exonerados. Entre eles, Daniel Soranz, que agora pode disputar um cargo público nas próximas eleições, algo que ainda será definido na convenção do Partido Social Democrático (PSD), o qual se filiou. O professor, pesquisador da Fiocruz, médico, doutor e mestre em saúde pública participou de um evento na Maré que marcou a sua despedida da secretaria. Em seu lugar assumiu o presidente do Instituto Municipal de Vigilância Sanitária, Vigilância de Zoonoses e Inspeção Agropecuária (Ivisa-Rio), Rodrigo Prado.

O local escolhido para a reunião de despedida ao cargo municipal foi o Bar do Russo, ao pé do Morro do Timbau. O evento realizado na noite da última segunda-feira (18/04), e reuniu mais de 200 profissionais de saúde, que acompanharam o secretário para agradecer, além de fazer um balanço de como foi tratada a pasta na Maré. Soranz também salientou que ficou feliz de fazer parte do time da saúde que lutou contra o vírus do covid-19. “Foi uma gestão em conjunto com os profissionais cariocas, na qual todos entraram para a história. Quero um dia voltar para a Fiocruz e andar de cabeça erguida”, avalia.

O ex-secretário fez questão de afirmar que não vai misturar o seu trabalho na saúde com a pretensão política. “A saúde não pode ser trocada por voto. Saio com a consciência tranquila, pois ninguém assumiu cargo na secretaria em troca de apoio político e nenhum funcionário entrou por indicação e sim currículo e processo seletivo, não houve apadrinhamento”, comenta. 

Cintia Mariano, gerente do Centro Municipal de Saúde (CMS) Nagib Jorge Farad, em Jardim América, esteve no evento por ter trabalhado em unidades da Maré. “Sempre é bom um bate papo sobre saúde. É preciso discutir a pasta, pois a Maré tem o seu diferencial e não pode aceitar um pacote pronto de saúde, pois os moradores sabem de suas necessidades”, diz. O seu colega da Clínica da Família Ministro Adib Jatene, na Vila dos Pinheiros, Valter Luiz, que atua como agente de saúde, analisou como uma boa gestão da secretaria. “Estamos vencendo uma pandemia, por isso espero que o próximo presidente da república indique Daniel como ministro da saúde”, expõe. 

Ao final, o ex-secretário falou com o Maré de Notícias. “A saúde municipal ainda tem muitos desafios. Estamos longes de chegar num patamar desejado. Iniciamos uma melhora que foi a reposição de equipes e reformas de unidades como o CMS Vila do João. O mais difícil é termos duas unidades federais no entorno da Maré, que atendia essa população, com as emergências fechadas. Essa é uma meta que os governantes precisam resolver, para recompor o Sistema Único de Saúde”, explica. Ele mandou um recado para os mareenses. “Agradeço por confiarem na vacina e se protegerem, só dessa forma foi possível diminuir as medidas de restrição. Agora é o momento de tomar a dose de reforço, que na Maré só atingiu 65%. Não podemos naturalizar os problemas e nem querer que apenas um governo traga todas as soluções. Mas com o empenho da sociedade, como a Maré que tem uma história de esforço e união, chegaremos num melhor sistema de saúde”, finaliza.

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionar Ctrl + Enter.

Hélio Euclides

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Nossos editores são notificados.