Frequentadores reclamam de degradação da Vila Olímpica da Maré

Uma das praças abandonadas pelo poder público na Maré fica na Vila dos Pinheiros; em vez de crianças, lixo – Foto: Matheus Affonso

Frequentadores reclamam de degradação da Vila Olímpica da Maré

Prefeitura e frequentadores esperam o retorno dos dias de glória ao espaço esportivo da Maré

Por Hélio Euclides, 08/09/2021 às 12h

Todo espaço público precisa de cuidados por parte de quem usa e também de órgãos competentes. Com a pandemia, muitos equipamentos públicos precisaram ficar fechados ou tiveram a diminuição no número de funcionários. Infelizmente, o abandono desses espaços fez com que houvesse casos de degradação na Maré. Escolas, creches, parques e até a Vila Olímpica da Maré viveram essa realidade. Na Vila, grades e banheiros foram destruídos, além do uso inadequado da piscina, o que deixou a água imprópria para uso. 

Em junho de 2020, o Maré de Notícias trouxe a realidade da Creche Municipal Pescador Albano Rosa, na Vila dos Pinheiros, que vinha sofrendo com a degradação na pandemia. O tema voltou à tona, em fevereiro de 2021, quando foi relatado o mesmo problema no Campus Educacional da Maré, localizado na Nova Holanda.

Com projeto criado em 1999, a Vila Olímpica da Maré tem como objetivo oferecer ações esportivas, educacionais e culturais. Andréia Regina, moradora da Vila dos Pinheiros, acha ótimo ter um espaço desse porte dentro da Maré. “Nem todas as mães têm condição de pagar as atividades diversas que no local são oferecidas, tanto para crianças com deficiências, como sem. São práticas esportivas que fazem bem à saúde, como natação e ginástica artística. Quando tive depressão, ia para lá, uma oportunidade de levar meus filhos e distrair minha mente”, conta. Sua filha Maria Eduarda, de sete anos, frequenta as oficinas de ballet, e natação, e quando não está nas atividades utiliza o espaço para andar de bicicleta, correr e jogar futebol. 

Regina ainda destaca uma parceria importante: o projeto “Livros nas Praças”. Por meio dele, um ônibus se transforma em uma biblioteca volante cheia de livros, que visita a Vila Olímpica da Maré a cada 15 dias. Ela só reclama da degradação do local. “Infelizmente vem ocorrendo isso por parte de crianças que não são matriculadas na vila. Falta contratar segurança para proteger os espaços de prática de esporte e o meio ambiente”, sugere. 

Outros moradores também relatam prejuízos que a Vila Olímpica da Maré vem vivenciando. Uma é Márcia Maria, moradora da Vila do João, mãe de Heytor Gonzaga, de três anos, que é autista e faz natação. “Parabenizo por ter uma equipe maravilhosa. Acho um lugar muito bom para realizar qualquer tipo de atividade esportiva, porém está sendo aos pouco destruída. Eu acho que primeiro de tudo é colocar vigilantes e segundo tentar conscientizar a população para não fazer isso e ter mais amor ao próximo. Nas últimas vezes que estive lá, presenciei adolescentes sujando a piscina, algumas vezes encontramos até vidros”, relata. Ela completa que as grades da piscina e do entorno da vila estão sendo arrancadas, além do banheiro e da cantina que estão sendo destruídos. Maria pretende fazer hidroginástica no local, mas espera que o equipamento melhore a estrutura.

Para chamar atenção

Um recado com cara de pedido de socorro foi colocado nas redes sociais da Vila Olímpica da Maré. O apelo é para que todos se unam pela preservação do espaço que sofre com a degradação. Vejam a publicação falando sobre os estragos no local:

“A Vila Olímpica da Maré é um patrimônio para o seu povo. Ela tem despesas para ser mantida em bom estado. Com muita dificuldade fazemos o possível para mantê-la funcional para os alunos inscritos no projeto. Todos sabem por que é que tem que ser alun@? Porque é uma forma de controle e organização, para cuidado de todos, para zelo do ambiente, para que os alunos estejam em segurança com a observação dos profissionais apropriados e para a aprendizagem segura de todos que querem aprender a nadar e/ou cuidar da saúde.

A Vila Olímpica não é um clube. Infelizmente, algumas pessoas têm desfrutado de forma inadequada, invadindo, arrebentando o gradil do parque aquático, o qual temos feito constante manutenção, e, tem entrado na piscina causando estragos e sujeira, o que impossibilita o uso dos alunos durante as aulas, até que consigamos normalizar a qualidade da água. Mas para que chegue ao ponto necessário, precisamos que a comunidade colabore e faça parte do time dos que querem que a Vila Olímpica dure por mais de duas décadas. Só assim, as nossas crianças e as futuras gerações poderão usufruir desse espaço. Mas se continuarem a depredar o pouco que se tem, aí fica insanamente difícil. 

Estamos aqui para fazer um apelo aos que contribuem negativamente, nos ajudem a cuidar da Vila Olímpica! Ela é de todos mareenses! Não deixemos que o sonho do Sr. Amaro seja destruído. Precisamos nos unir para fazer a diferença!”.

O Maré de Notícias entrevistou Guilherme Schleder, Secretário Municipal de Esportes, para falar sobre o que vem passando o espaço e o que a Prefeitura pretende fazer para reverter o caso.

Como resolver essa situação?

Entramos na Prefeitura e pegamos a Vila Olímpica sem contrato. Para garantir o funcionamento tem-se um esforço coletivo entre o Instituto Jacqueline Terto, a Fundação Barcelona, a União Esportiva Vila Olímpica da Maré (UEVOM) e as secretarias municipais de esporte e educação. Ainda este ano teremos licitação, que garantirá a contratação de mais funcionários, como seguranças e de agentes de serviços gerais. Vai ocorrer uma nova organização, com a volta de todas as atividades que hoje não estão disponíveis.

Qual a importância da Vila Olímpica da Maré?

Fiquei sabendo que há vandalismo nas escolas da Maré, até com furto. Na Vila Olímpica desconheço, mas é sempre bom destacar a importância da preservação e da informação para evitar o mal-uso. O espaço é dos moradores que precisam cuidar da melhor maneira possível. Exaltamos que a Vila Olímpica é um local de incentivo para a prática de esporte, para a vida saudável e onde se destacam campeões.  

É necessário a união de todos em prol do equipamento municipal?

Para os frequentadores e usuários é preciso cuidar da nossa casa. Quando uma peça é deteriorada, deixamos de comprar algo novo para reformar a quebrada. A Prefeitura sempre faz campanhas de preservação dos equipamentos. Da nossa parte, vamos reformar uma das quadras e estamos estudando a abertura da Vila Olímpica da Maré nos finais de semana para o maior lazer dos moradores. 

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionar Ctrl + Enter.

Hélio Euclides

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Nossos editores são notificados.