Maré recebe 1ª Conferência da Primeira Infância na Areninha 

Data:

Maiara Carvalho*

Nesta sexta-feira (28), a partir das 9h30, será realizada a 1ª Conferência da Primeira Infância, na Areninha Herbert Vianna. O evento busca discutir e construir uma nova realidade para as crianças de 0 a 6 anos do Conjunto de favelas da Maré baseado na pesquisa de diagnóstico intitulada “Primeira Infância na Maré: acesso a direitos e práticas de cuidado (PIM)”, iniciativa dirigida pela Redes da Maré entre 2020 e 2022 com o apoio da Fundação Porticus. O espaço será palco da participação ativa de organizações e da população, em prol de mudanças significativas na agenda de políticas públicas sobre o tema.

Entendendo a complexidade do cuidado parental enquanto morador da Maré, a metodologia de pesquisa teve como objetivo compreender e fornecer subsídios ao Poder Público explorando o tema abordado. “A questão transcende, portanto, a mera experiência de crescimento na Maré, uma vez que envolve um processo de crescimento integrado ao território. Ou seja, um espaço que não apenas nutre e cuida, mas também contribui ativamente para a construção do futuro”, reforça Eliana Sousa Silva, fundadora da Redes da Maré. 

Educação, saúde e violência

Das 2.144 pessoas entrevistadas, os dados mais preocupantes são em relação à educação e saúde. Segundo a pesquisa, 62,9%  das crianças de 0 a 3 anos estão fora das creches, apesar do aumento de escolas no território nos últimos anos. 

A violência vivida enquanto morador da Maré também tem fortes influências nas problemáticas captadas durante a pesquisa. Quando perguntados como a violência afeta as crianças da Maré,  37,1% relataram o impacto da perda de aulas e 26, 1% a diminuição do desempenho escolar, além dos relatos de como a saúde mental e o comportamento dessas crianças são diretamente afetadas. 

Os estudos se iniciaram no contexto da pandemia da Covid-19, para dar conta do desafio foi preciso mobilizar uma grande equipe. “Cinco frentes de pesquisa e ação foram desenhadas para a produção do diagnóstico e permitiram intervenções que decorreram da metodologia da pesquisa participante. Essa abordagem possibilitou que a equipe de pesquisa não apenas se inserisse no campo ativamente, mas que também mobilizasse a população e os trabalhadores do território a participarem e refletirem sobre a experiência da infância na Maré”.

G20: Maré no mapa

Os debates sobre a Primeira Infância a partir dos dados coletados na pesquisa se tornam ainda mais importantes neste ano. Em 2024, o Rio de Janeiro se torna sede do G20, o maior encontro de chefes de Estado e Governo que se reúnem para discutir e propor soluções para um “mundo justo”, como reitera o slogan da organização. 

Dentro dos três principais temas que os debates buscam abordar, a Inclusão social e o combate à fome e à pobreza é uma forte vertente de aproximação ao que será também discutido na 1ª Conferência da Primeira Infância na Maré. O evento traz a oportunidade de cobrar políticas públicas mais efetivas e soluções que tratem da lacuna social referente aos problemas sofridos pelos pequenos moradores do território no período mais decisivo da vida: a infância. 

(*) Maiara Carvalho é estudante de Rádio e TV da Universidade Federal do Rio de Janeiro e faz parte do projeto de Extensão Conexão UFRJ com o Maré de Notícias.

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Vale a pena ler de novo: 3 matérias sobre o Vacina Maré

No 'Vale a Pena Ler de Novo' desta semana, o Maré de Notícias resgata três matérias sobre a campanha #VacinaMaré, que teve início no fim de julho de 2021 e foi um marco no combate à covid-19 no território