Jornada de seis anos do Espaço Normal pela redução de danos na Maré

Data:

Celebração acontece junto com o Fórum Sobre Drogas na Maré, que este ano acorre nos próximos dias 27 e 28 de maio

Elivanda Canuto*

O Espaço Normal (EN), equipamento de referência sobre droga na Maré, celebra seu sexto ano de existência. O equipamento da Redes da Maré, que promove cuidado da população em situação de rua e/ou que faz uso abusivo de álcool e outras drogas celebra mais um ano – não à toa – junto com o Dia Internacional da Redução de Danos.

Como de costume, a celebração acontece junto com o Fórum Sobre Drogas na Maré, que este ano acorre nos próximos dias 27 e 28 de maio, na Rua 17 de fevereiro, nº 237, Parque Maré. Referência na prática de Redução de Danos, o EN investe no protagonismo e no empoderamento dos seus frequentadores, chamados carinhosamente de “Os Normais”.

Esse espaço de convivência se tornou um lugar seguro de autocuidado e de enfrentamento às violências sofridas pelos normais, inclusive em relação à insegurança alimentar ao oferecer café da manhã e almoço todos os dias da semana. Além disso, há uma convivência diária e articulação com os serviços públicos para garantir acesso aos direitos fundamentais.

O projeto promove ainda o acesso à cidade através de passeios culturais e de lazer dentro do território da Maré e também em outros locais do município. Para além da metodologia do trabalho que se baseia na redução de danos, o espaço também trabalha com o cuidado em liberdade, fundamentada nos direitos humanos das pessoas em situação de rua. 

Atualmente, a iniciativa atende cerca de 130 pessoas por dia. Somente no primeiro trimestre de 2024 foram realizados mais de 240 atendimentos e encaminhamentos daqueles que frequentam o serviço para a rede pública de saúde e proteção social, ampliando assim a rede de cuidados dessas pessoas.

Somado às atividades que já acontecem diariamente, o Espaço Normal em parceria com a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) vem promovendo um dia exclusivo para acompanhamento de mulheres. Esta metodologia traz consigo o incentivo à autonomia das mulheres atendidas com suporte para a retomada da educação formal  apoiado por processos de geração de renda e promoção da autoestima. 

Esse dia garante às mulheres que frequentam esse espaço, o direito a ser e estar num ambiente de liberdade e produção de rede de cuidado e fortalecimento dos seus laços afetivos.

Nesse dia de grande importância para a redução de danos e também no mês que comemoramos o dia da luta antimanicomial, nós, enquanto profissionais, nos fortalecemos acreditando no direito ao cuidado em liberdade.

(*) Elivanda Canuto é coordenadora do Espaço Normal

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

EDI na Maré se destaca por acolhimento na primeira infância

O Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) Profª Kelita Faria de Paula, localizado no Conjunto Bento Ribeiro Dantas se tornou uma referência ao falarmos de “lugar de escuta”

Clube de Futebol faz ‘vakinha’ para disputar torneio em São Paulo

No ano passado, com ajuda dos pais dos atletas, o clube disputou a Taça São Paulo na categoria sub 15, este ano o pensamento do clube é participar também na categorias sub 17