Ocupação dos leitos de UTI no Rio chega a 99%; 28 regiões da cidade apresentam alto risco

Data:

Município pode ter novo colapso no sistema de saúde

Por Edu Carvalho, em 15/01/2021 às 13h

Não há mais leitos de UTI exclusivos para covid-19 disponíveis na cidade do Rio de Janeiro, justamente na semana onde a média de mortes foi a maior registrada desde junto (170). A situação da rede de saúde pública é atualizada a cada minuto, através de um sistema online da prefeitura. Neste momento, se tem apenas um leito de UTI para pacientes com a doença. A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 99%.

Na última semana, a rede já havia batido o número de 100% de leitos ocupados, segundo a Fiocruz. A cidade do Rio de Janeiro lidera o ranking nacional de taxa de mortalidade de covid-19 no país, sendo a Fundação. O aumento no número de casos, internações e mortes se dá 14 dias após o período das festas – Natal e Réveillon, onde muitas pessoas fizeram aglomerações e viagens. 

28 regiões da cidade estão sinalizadas como de ‘alto risco’

Segundo informações divulgadas na manhã de hoje pela Prefeitura do Rio, 28 regiões administrativas (RAs) do total de 33 existentes estão em alerta. A mudança no status de contaminação mudou em apenas uma semana. 

No somatório, cinco regiões são consideradas com risco moderado e quatro delas são favelas. A Rocinha, o Jacarezinho, o Complexo do Alemão e a Maré estão nessa lista, junto com o bairro do Realengo, localizado na zona oeste do Rio.

As áreas com alto risco são: 

Anchieta

Bangu

Barra da Tijuca

Botafogo

Campo Grande

Centro

Cidade de Deus

Copacabana

Guaratiba

Ilha de Paquetá

Ilha do Governador

Inhaúma

Irajá

Jacarepaguá

Lagoa

Madureira

Méier

Pavuna

Penha

Portuária

Ramos

Rio Comprido

Santa Cruz

Santa Teresa

São Cristóvão

Tijuca

Vigário Geral

Vila Isabel

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Entenda o Projeto de Lei que equipara aborto em casos de estupro a homicídio 

O Projeto de Lei 1904/2024, chamado de “PL da Gravidez Infantil” ou “PL do Aborto”, equipara o aborto após a 22ª semana de gestação ao crime de homicídio, criminalizando mulheres e profissionais de saúde envolvidos no procedimento.

Operação da Polícia Civil é marcada por intenso tiroteio e correria em três favelas da Maré

O Maré de Notícias recebeu vídeos que mostram mães correndo e procurando se proteger dos disparos abraçadas a seus filhos por causa do horário de saída do período matutino