Pesquisa revela que a cada 50 dias, um ator político foi assassinado na Baixada Fluminense

Pesquisa revela que a cada 50 dias, um ator político foi assassinado na Baixada Fluminense

Observatório de Favelas, Universidade Federal Fluminense e Universidade Witwatersrand, da África do Sul lançam estudo sobre violência política na região

Por Redação, em 13/12/2021 às 11h18

Entre os anos de 2015 e 2020 foram mapeados 43 assassinatos de atores políticos na Baixada Fluminense. É o que aponta a pesquisa ‘Violência e Política na Baixada Fluminense’, que será lançada nesta terça-feira, dia 14, às 10 horas, durante transmissão ao vivo pelo Youtube. O estudo consolidado como uma publicação digital, foi desenvolvido por pesquisadores do Observatório de Favelas, da Universidade Federal Fluminense – UFF e da Universidade Witwatersrand – WITS, da África do Sul, com apoio da Fundação Heinrich Boll, e analisou casos de violência letal cometida contra lideranças, ativistas, representantes e gestores políticos na Baixada Fluminense no período de 5 anos.

“A pesquisa mostra a grande recorrência da violência e do poder de matar como instrumento da política na Baixada Fluminense. Os dados que analisamos ajudam a compreender uma realidade que produz imensos obstáculos para o exercício da democracia na região. Isto é fundamental para que se pense em caminhos para romper o domínio de elites políticas e econômicas violentas e autoritárias e seus modos de apropriação do Estado.” afirma André Rodrigues, Coordenador Geral da Pesquisa “Violência e Política na Baixada Fluminense”.

A pesquisa revela ainda que as eleições de 2016 foram as mais violentas no período analisado na região. Os municípios com mais casos de mortes foram Nova Iguaçu e Seropédica, seguidos de Duque de Caxias, Magé e São João de Meriti. No que se refere à atuação política das vítimas, a maior parte das mortes se vincula ao cargo de vereador, em sua maioria homens.

De acordo com os pesquisadores, a metodologia utilizada neste estudo foi o levantamento de casos de violência política letal registrados em jornais de grande circulação e pesquisas complementares na internet. Foi realizada ainda análise de dados de candidaturas disponíveis no banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral e entrevistas.

“A pesquisa foi realizada a partir de uma combinação de metodologias quantitativas e qualitativas. Em muitos casos não conseguimos acessar informações básicas e relevantes sobre as vítimas, como cor, idade, partido, dinâmica da morte. Isso por si só revela bastante sobre o fenômeno, pois ao mesmo tempo em que demonstra como o que acontece na Baixada tem baixa visibilidade midiática, também alimenta essa economia dos assassinatos políticos, uma vez que quanto menor a repercussão, menor a pressão sobre as instituições responsáveis e menores as respostas sobre andamento das investigações”, destaca Leandro Marinho, um dos autores da publicação e pesquisador do Observatório de Favelas.

O lançamento da publicação ‘Violência e Política na Baixada Fluminense’, que consolida os dados e análises da pesquisa, acontece nesta terça-feira, dia 14 de dezembro, às 10 horas no canal do Youtube no canal do Observatório de Favelas e do Instituto de Educação de Angra dos Reis – UFF, simultaneamente.

Mediada por Thais Gomes – Coordenadora do Programa de Direito à Vida e Segurança Pública do Observatório de Favelas, a apresentação dos resultados da pesquisa ‘Violência e Política na Baixada Fluminense’ será conduzida por André Rodrigues, professor da UFF e Coordenador Geral da Pesquisa e contará com análise de José Cláudio Souza Alves – Sociólogo, professor da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ, autor do livro: ‘Dos Barões ao Extermínio: Uma História da Violência na Baixada Fluminense.

A abertura do evento terá a presença de Raquel Willadino – diretora do Observatório de Favelas e Coordenadora Executiva da Pesquisa. Andres Del Río – Professor de Ciência Política, Coordenador do Núcleo de Estudos sobre Estado, Instituições e Políticas Públicas da Universidade Federal Fluminense – UFF. Elizabete Albernaz – Pesquisadora Visitante na WITS University em Joanesburgo, África do Sul, e Coordenadora Executiva da Pesquisa e Marilene De Paula – Coordenadora da área de Direitos Humanos da Fundação Heinrich Böll.

Serviço:

Lançamento da Pesquisa ‘Violência e Política na Baixada Fluminense’
Data: 14/12/2021 às 10horas
Transmissão ao vivo: Youtube Observatório de Favelas
Youtube do Instituto de Educação de Angra dos Reis – UFF

Programação:

Abertura

Marilene De Paula – Historiadora e Mestre em Bens Culturais e Projetos Sociais. Coordenadora da área de Direitos Humanos da Fundação Heinrich Böll.

Raquel Willadino – Diretora do Observatório de Favelas e coordenadora geral do Programa de Direito à Vida e Segurança Pública da instituição. Doutora em Psicologia Social pela Faculdade de Ciências Políticas e Sociologia da Universidade Complutense de Madrid (UCM), Espanha. Coordenadora Executiva da Pesquisa Violência e Política na Baixada Fluminense.

Andres Del Río – Professor adjunto de Ciência Política IEAR-UFF. Coordenador do Núcleo de Estudos sobre Estado, Instituições e Políticas Públicas da Universidade Federal Fluminense.

Elizabete Albernaz – Doutora em Antropologia pela UFF, Pesquisadora Visitante na WITS University em Joanesburgo, África do Sul, Vice-líder do Laboratório de Estudos sobre Conflito, Cidadania e Segurança Pública da UFF e Pesquisadora Associada ao LEPOV/UFF, Laboratório de Estudos sobre Política e Violência. Coordenadora Executiva da Pesquisa Violência e Política na Baixada Fluminense.

Apresentação da pesquisa

André Rodrigues – Universidade Federal Fluminense e Coordenador Geral da Pesquisa “Violência e Política na Baixada Fluminense”

Debate dos resultados

José Cláudio Souza Alves – Sociólogo, Professor da UFRRJ, autor do livro: ‘Dos Barões ao Extermínio: Uma História da Violência na Baixada Fluminense.

Mediação: Thais Gomes – Baixadense. Graduada em Serviço Social. Especialista em Movimentos Sociais pelo NEPP-DH UFRJ, Mestra em Serviço Social. Coordenadora executiva do Programa de Direito à vida e Segurança Pública do Observatório de Favelas.

Informações para a Imprensa
Renata Oliveira
Assessoria de imprensa – Observatório de Favelas
Tel: (21) 99889-8184
E-mail: renata@observatoriodefavelas.org.br

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionar Ctrl + Enter.

mareonline

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Nossos editores são notificados.