Tensão marca segundo dia de operação policial na Maré

Policiais em operação no Morro do Timbau.

Tensão marca segundo dia de operação policial na Maré

Por Edu Carvalho e Thais Cavalcante, em 22/01/2021 às 13h

Atualizado em 23/01/2021 às 9h

Por volta das 04h da última sexta-feira, 22, policiais militares do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) iniciaram o segundo dia consecutivo de operação policial em Marcílio Dias, uma das favelas da Maré, mais conhecida como Kelson’s. Desta vez a ação foi acompanhada também pela Polícia Civil. 

Segundo nota enviada pela Polícia Militar à Redes da Maré, não houve prisões e/ou apreensões. Em grupos nas redes sociais, moradores relatam abusos de autoridade cometidos pelos agentes de segurança. Após busca ativa, a equipe da Redes da Maré coletou inúmeros relatos de violações de direitos, praticados em sua totalidade pelos agentes do BPChoque.

A equipe da Redes da Maré registrou 11 entradas irregulares dos agentes nas residências, sem mandado judicial, quatro agressões físicas, além de inúmeros veículos abertos sem a permissão dos donos. Um dos moradores relatou à Redes da Maré que por volta das 6h da manhã ele e a esposa foram abordados por policiais invadindo os fundos da casa. O morador desabafou: “pobre, preto e favelado com uma condição melhor já é mal visto, eles pediram nota fiscal do meu carro e de outras coisas. Eu e minha esposa perguntamos se eles tinham algum mandado de busca e um dos policiais respondeu que não precisava de mandado, pois em uma operação, podem entrar na casa que quiser”. Depois desse questionamento um dos policiais agrediu sua esposa segurando seu pescoço com força. “Ela está correndo atrás disso, já fez o boletim de ocorrência e vai fazer o corpo de delito. Infelizmente é o que muitos cidadãos de bem e trabalhadores passam por morar em comunidade. Mas estamos bem”. Assim como aconteceu recentemente no Morro Santa Marta, Zona Sul, policiais fizeram uso de chave-mestra para invadir outras várias residências da região.

Se liga, morador: para denunciar violações de direitos humanos, envie uma mensagem para o WhatsApp do Projeto Maré de Direitos: (21) 99924-6462.

Marcílio Dias vem sofrendo com um número alto de operações policiais nos últimos anos. Em 2020, segundo o monitoramento realizado pela Redes da Maré, quase 44% do total de operações policiais realizadas no conjunto de 16 favelas da Maré foi neste local. Nem sempre as assessorias das polícias são claras sobre as motivações e objetivos das operações que acontecem em Marcílio Dias.

Na quinta-feira, 21, a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informou que “não houve operação no local”, ainda que tenha sido registrado a presença de carro blindado (“caveirão”) e registros de tiros. Segundo a assessoria, os policiais militares do 16ºBPM (Olaria) fizeram cerco nos acessos à comunidade da Kelson’s devido a um veículo de carga que foi roubado e levado para a região. Equipes vasculharam as vias de acesso e o caminhão foi localizado com a carga de produtos alimentícios intacta. O motorista também foi encontrado. Não houve confirmação de confronto envolvendo grupos armados da região, nem prisões ou relatos de possíveis feridos.

A Assessoria de Comunicação da Polícia Civil não retornou o contato realizado pela Redes da Maré.  

A operação policial desta sexta-feira durou até por volta das 12hrs e impactou no fechamento do Centro Municipal de Saúde João Cândido, única unidade de saúde em Marcílio Dias.  As operações policiais aconteceram no período de vigência da liminar emitida pelo Superior Tribunal Federal, dentro do julgamento da “ADPF das Favelas”, que determinou, desde 6 de junho de 2020, a suspensão de operações policiais em favelas do Rio de Janeiro durante a pandemia de COVID-19, salvo em casos de excepcionalidade.

Edu Carvalho

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *