Prefeitura do Rio decreta uso obrigatório de máscara facial

Data:

Decreto determina que a partir de 23 de abril cidadãos devem usar máscara de tecido ao sair de casa; cartilha explica como confeccionar, utilizar e higienizar o objeto.

Flávia Veloso

Passa a valer amanhã, 23 (quinta-feira), a medida que estabelece a obrigatoriedade do uso de máscara facial na cidade do Rio. O decreto determina que os cidadãos cariocas usem a máscara de proteção nas ruas, durante as atividades de trabalho, em estradas, praças, lagoas, praias, transportes públicos e privados e estabelecimentos abertos ao público durante a pandemia da Covid-19. Aqueles que desrespeitarem a medida estão sujeitos a pagamento de multa.

O decreto foi publicado no dia 18 de abril, mas tem o prazo de cinco dias para entrar em vigor. Em coletiva de imprensa feita no Gabinete de Crise, no Riocentro, o prefeito Marcelo Crivella explicou que a população deve usar máscaras feitas em casa. Desta forma, as máscaras profissionais devem ficar reservadas aos médicos, enfermeiros e demais trabalhadores da Saúde.

Cartilha explica como confeccionar, utilizar e higienizar

Anexado ao decreto, há uma cartilha explicando como confeccionar, utilizar e higienizar a máscara. A prefeitura recomenda que o tecido de confecção deve ser algodão (o Ministério da Saúde também recomenda outros tecidos, mas nem todos são reutilizáveis, como o TNT) e que cada cidadão possua cinco unidades. O documento também lembra que o objeto não pode ser compartilhado, mesmo após lavagem, e que ainda assim as pessoas devem manter distância umas das outras e higienizar frequentemente as mãos com água e sabão ou álcool em gel.

Os modelos e tecidos sugeridos para confecção são os recomendados pelo Ministério da Saúde, em nota disponível no site do Ministério. Elas podem ser feitas com uma camiseta e papel-toalha, sem necessidade de costura e elástico, ou com tecido usando costura e elástico. Recomenda-se que as máscaras sejam feitas, preferencialmente, de tecido de saco de aspirador, cotton, algodão e tecido de fronha antimicrobiano.

Máscara facial feita com camiseta. Reprodução: Ministério da Saúde.

Deve-se utilizar a mesma máscara por, no máximo, três horas ou trocar sempre que ficar úmida, suja, danificada ou se tiver dificuldade para respirar. As mãos têm que ser higienizadas toda vez que o objeto for colocado ou retirado e lavado logo que possível. É necessário que a boca e o nariz fiquem cobertos, sem sobrar espaços nas laterais, e que a máscara fique confortável e deixe espaço para respirar. O uso de maquiagem também deve ser evitado, assim como tocar na parte frontal da máscara. 

Entretanto, não são todos que estão aptos a usar o protetor facial caseiro. A prefeitura alerta que não devem usar a máscara pacientes contaminados ou com sintomas do novo coronavírus, pessoas que cuidam de pacientes contaminados, pessoas com contra indicação feita por profissional de saúde, crianças menores de dois anos, pessoas com problemas respiratórios e incapazes de tirar a máscara sem ajuda. Os profissionais de saúde durante atuação também não estão aptos a usar o protetor de tecido.

Modelo usando camiseta:

– Corte a frente e o verso da camiseta usando como base as marcações indicadas na figura;

– Faça um ponto na parte inferior para segurar o papel-toalha;

– Insira um papel entre as camadas de tecido;

– Amarre a alça superior ao redor do pescoço, passando por cima das orelhas;

– Amarre a alça inferior na direção do topo da cabeça.

Modelo usando costura e elástico:

– Separe o tecido;

– Faça um molde em papel de forma no qual o tamanho da máscara permita cobrir a boca e nariz, com 21cm de altura e 34cm de largura;

– Faça a máscara usando duas camadas de tecido;

– Prenda e costure na extremidade da máscara um elástico ou amarras.

Higienização das máscaras

– Lave cada máscara separadamente com água corrente e sabão neutro;

– Faça uma solução de 1 litro de água com duas colheres de sopa de água sanitária ou outro desinfetante e coloque as máscaras de molho de 20 a 30 minutos;

– Enxague em água corrente, torça levemente e coloque para secar;

– Depois de secas, passe com ferro quente e guarde em um recipiente fechado.

No caso das máscaras sem costura, deve-se remover o papel-toalha antes da lavagem e recolocá-lo após o tecido estar seco e passado. Recomenda-se que não se lave as máscaras mais de 30 vezes. 

Creusa Maria, moradora do Rubens Vaz, fala sobre o cotidiano durante a quarentena.

Vídeo da OMS – Como colocar, usar, retirar e descartar uma máscara

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Ativista e jornalista da Maré no G20

Do Conjunto de Favelas da Maré à conferência da 19a reunião de cúpula do G20, a trajetória de Kaya Bee, moradora da Nova Holanda é um exemplo inspirador na luta por um futuro mais justo e sustentável. Aos 27 anos, mãe, ativista climática e estudante de jornalismo, ela carrega a força e a resiliência de quem enfrenta os desafios da vida na favela com a determinação de transformar a realidade para os mareenses.