Um ano depois, Cedae volta a encontrar geosmina no Rio Guandu

Um ano depois, Cedae volta a encontrar geosmina no Rio Guandu

Apuração foi feita pelo jornalista Edmilson Àvila

Por Edu Carvalho, em 28/01/2021 às 16h40

Um ano depois dos primeiros registros de geosmina encontrada no sistema de tratamento do Rio Guandu, que abastece a região metropolitana do estado, o problema está de volta. Após moradores relatarem sobre gosto e cheiro ruins na água em diversos bairros do Rio de Janeiro, a Cedae informou, nesta quinta-feira, 28, que encontrou novamente, a substância na água. A apuração foi publicada no ”Blog do Edimilson Ávila”, G1. 

De acordo com a companhia, a quantidade de geosmina dessa vez é pequena. 

No dia 21, a produção na Estação de Tratamento do Guandu, que abastece 80% do estado, foi interrompida por 10 horas, após o aumento da proliferação de algas, o que gerou o desabastecimento.

Tanto Geosmina e 2-Metil-Isoborneol (2-MIB) são substâncias similares que sugerem a presença de esgoto na água.

Moradores de diversas favelas da Maré vem sofrendo com a água. Sentiu cheiro ou gosto ruim? Manda pra gente nas redes sociais! 

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionar Ctrl + Enter.

Edu Carvalho

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Nossos editores são notificados.