Adeus ao artista da Vila do João: morre Afonso Carlos, o Carlinhos da Varig

Adeus ao artista da Vila do João: morre Afonso Carlos, o Carlinhos da Varig

Pintor foi encontrado sem vida em sua casa por familiares na última segunda-feira (29)

Por Denilson Queiroz, em 03/10/2021 às 17h14. Editado por Tamyres Matos

O artista Afonso Carlos, 67 anos, também conhecido como Carlinhos da Varig, faleceu nesta segunda-feira, na Vila do João. Familiares encontraram o pintor já sem vida em sua casa. A causa de sua morte foi um infarto. 

Afonso era figura bastante conhecida na Vila. Moradores relatam que a história de Carlinhos se confunde com a própria história da Vila do João. O mestre de capoeira Yrann Santos o conhecia há 50 anos e apreciava seu trabalho: “Seu irmão, Fábio, foi dono da primeira oficina de bicicletas da Vila do João. A pesca e a pintura sempre foram as suas paixões. Aqui em casa, nós o admiramos muito. Inclusive, temos três quadros dele”, conta.

Vida colorida

Um atelier em plena Rua Catorze, conhecida como a principal da Vila do João, um dos locais mais movimentados da Maré, onde passam pessoas indo e vindo do trabalho: esse foi o local escolhido por Afonso Carlos para criar suas obras de arte, um pintor ao ar livre. Esse ambiente eufórico fascina o artista, que acaba pintando de quatro a cinco quadros por dia. A grande maioria é composta de natureza, praias e verde. Ele nunca fez curso, acreditava ser um “dom de Deus”!.

Tudo começou no período de infância, quando fugia da escola para fazer desenho de letra japonesa. Por isso, só terminou o curso primário. Mas o talento acompanhou a sua vida. Contudo, Carlinhos da Varig fez outras atividades como segurança da Linha Vermelha e pescador. Seu retorno à arte foi fazendo quadro em madeira. O Maré de Notícias conversou com o artista em janeiro do ano passado.

Yrann Santos posa com o quadro de Afonso Carlos que expõe orgulhosamente em sua casa: “admiramos muito” | Foto: Arquivo pessoal

“É com o que criei meus filhos, com dinheiro da pesca e da pintura. Agora quero passar a profissão para frente. Tem um neto de 6 anos que mostra um dom para trabalhar com pincel, chora para pintar”, contou à época. 

Carlos usa para pintura tinta plástica Acrilex, e se destaca por reciclar madeiras e criar seus próprios quadros. Durante a entrevista, ele se emocionou ao lembrar que a pintura o tirou do caminho errado e diz que seus quadros já chegaram nos Estados Unidos e em Portugal: “Isso me faz chorar de emoção, ter quadros no exterior”.  

Mas é na Maré que ele se realizava. “Falam que há um artista na comunidade. As escolas daqui me chamam para expor e ainda vendo para os pais e professoras. O que me deixa feliz é o sorriso dos clientes, de orelha a orelha”, comentou.

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionar Ctrl + Enter.

mareonline

Artigos relacionados

2 Comments

  • Muito obrigado pelo carinho e pela repostgem com meu Pai Afonso carlos … Ficamos felizes com essa materia .. Ele tinha 68 anos e infelizmente nos deixou 😢💝 mas são esses carinhos q nos fortalece muitooooo obg❤

  • Tio Carlinhos, grande artista.
    A família chora pela sua perda mas temos a certeza que está nos braços do Pai. Deixou sua arte por onde passou. Ele passou un tempinho aqui em casa hj moro em Jandira, SP e vendeu mais de 50 quadros aqui. Todos que passavam na rua se encantaram com sua arte.
    Hoje quando passo na rua as pessoas perguntam cadê seu tio que faz quadros? Ele deixou sua marca aqui. Descanse em paz tio. Nos amamos vc.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Nossos editores são notificados.