ALERJ homenageia mulheres centrais na garantia de direitos

Crédito: Douglas Lopes

ALERJ homenageia mulheres centrais na garantia de direitos

Eliana Sousa, fundadora e diretora da Redes da Maré e Nísia Trindade, presidenta da Fiocruz são homenageadas em cerimônia na Maré

Por Jéssica Pires, em 17/05/2022 às 16h26. Editada por Edu Carvalho

“Há caminhos práticos para a construção de políticas públicas com a participação das organizações da sociedade civil” enfatizou Valcler Rangel, médico sanitarista, assessor de Assuntos Institucionais da Fiocruz e membro do Comitê Gestor do projeto Conexão Saúde – De Olho na Covid, em seu discurso durante a entrega das premiações à Eliana Sousa e Nisia Trindade nesta segunda-feira (16/5), no Centro de Artes da Maré (CAM). A premiação foi uma iniciativa da mandata da deputada mareense Renata Sousa. Além de Valcler, estiveram presentes na mesa da premiação o morador da favela Rubens Vaz, ex-aluno do CPV da Redes da Maré e ex tecedor da Biblioteca, Douglas Oliveira, Denise Pires, reitora da UFRJ e Miriam Krenzinger, professora do Programa de Pós-graduação do Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 

Reconhecimento na luta por direitos para o maior conjunto de favelas do Rio

A Medalha Tiradentes é uma honraria concedida pelo governo do Estado por meio da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ), destinada a premiar pessoas que prestaram relevantes serviços à causa pública do Estado do Rio de Janeiro. Eliana recebeu a homenagem por seu trabalho na Maré, como a garantia de direitos aos 140 mil moradores do território; sobretudo no campo da educação, e também pelos esforços mobilizados para minimizar os impactos da pandemia no conjunto de 16 favelas. A indicação da fundadora da Redes da Maré foi aprovada em unanimidade pela Assembleia Legislativa. “Uma honra poder homenagear a Eliana e toda a sua luta pela dignidade humana nas favelas” comentou Renata Sousa, deputada mareense.

Entrega da Medalha Tiradentes à Eliana Sousa, entregue pela deputada estadual Renata Souza. Foto © Douglas Lopes

“Nunca esqueça das suas origens. Daquilo que te transformou no que és hoje”, disse Eliana em seu discurso, numa referência aos pais, família e às mulheres que fizeram parte da luta coletiva no território. Parte dos familiares e dos personagens que ainda na década de 80 foram mobilizadores em causas junto à diretora da ONG Redes da Maré estavam presentes na cerimônia. A diretora da instituição creditou o mérito do trabalho às tecedoras e tecedores do projeto, além de parceiros e referências pessoais. “É um trabalho feito de forma coletiva e apaixonada com muitas pessoas que estão aqui e estão no meu coração também”. Um vídeo com falas da filósofa, escritora e ativista antirracista Sueli Carneiro, a escritora Conceição Evaristo e a professora Helena Buarque de Holanda, além de familiares foi exibido antes da entrega da premiação.

“Não podemos nos orgulhar de um país que negligencia quem nele nasce”, Eliana também destacou as perdas no campo dos direitos humanos, crises econômicas e políticas de um governo que não representa as demandas da sociedade em seu discurso. 

Forças femininas ocupando 

Ao entregar o prêmio Ana Nery de saúde pública, que vem reconhecendo o exercício de profissionais da enfermagem, mas dessa vez ampliou para a área da saúde, Renata Sousa destacou o valor e papel de uma mulher estar à frente de uma das mais importantes organizações de saúde do país. Entre tantas realizações encabeçadas pela Fiocruz durante a pandemia, a ação de vacinação em massa foi um dos destaques mencionados pela deputada na entrega do prêmio para a cientista social e socióloga Nísia Trindade, primeira mulher a comandar a fundação, em 116 anos de história.

Nísia Trindade, presidente da Fiocruz, discursa em evento. Foto © Douglas Lopes

Legado de lutas

“A importância das instituições saírem de suas caixinhas e promover aproximações entre as comunidades negligenciadas” foi também destacada por Valcler no discurso diante da homenagem a figuras tão importantes. Renata Sousa comentou sobre o valor da universidade e organizações sociais em sua vida. Eliana foi uma das professoras do curso pré vestibular que fortaleceu o processo de entrada na mareense na universidade, assim como tantas e tantos outros moradores e moradoras.

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionar Ctrl + Enter.

mareonline

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Nossos editores são notificados.